Exchanges chinesas agora exigem verificação por video

Imagem Reprodução

As exchanges chinesas de Bitcoin estão se preparando para retomar os saques de bitcoin após a implementação de um procedimento de verificação por vídeo.

Conforme os e-mails em que as exchanges chinesas detalham as informações exigidas dos clientes para processar suas retiradas, os usuários estão recebendo e-mails anunciando a verificação de identidade por vídeo, de acordo com os mais recentes procedimentos impostos pelo Banco Popular da China.

O email:

De acordo com os regulamentos da KYC / AML e os procedimentos de monitoramento da conta que a Huobi está sujeita, iniciaremos a verificação por vídeo às 17:00 de 28 de março (GMT +8), por favor coopere para concluir a verificação de vídeo conforme solicitado, ou poderá afetar suas retiradas.

Ou seja, duas das maiores exchanges chinesas a Huobi e OKCoin começaram a implementar a verificação por vídeo.

Leia também  US$ 64mil: Fundstrat calcula o preço do bitcoin para o final de 2019 com base na dinâmica do hashrate

Recentemente, o PBoC propôs um projeto em que as exchanges no país considerassem aceitar esse tipo de verificação, uma prática que é comum aos bancos tradicionais, mas não às exchanges Bitcoin.

No entanto, o movimento mais recente das exchanges sugere que esses tipos de verificações não serão implementadas, pelo menos por enquanto. Significa também que, se o PBoC e exchanges finalmente chegarem a um acordo sobre procedimentos de AML (Anti-Money Laundering), as retiradas de criptomoedas deverão ser retomadas muito em breve.

Exchanges Chinesas agora fortemente regulamentadas

O retorno das retiradas de criptomoedas deve ajudar as exchanges a recuperar alguns dos clientes que vêm se concentrando  em alternativas peer-to-peer nos últimos meses. No entanto, com a remoção da margem de negociação e taxas zero, é improvável que o mercado chinês recupere a sua quota de 90% do mercado global de negociação Bitcoin.

Leia também  Ethereum: Alguns segundos foi o tempo necessário para "alguém" transformar R$1200 em R$3 milhões

As exchanges exigirão que os utilizadores forneçam as suas informações pessoais, bem como explicações sobre as origens dos fundos, e os destinos dos valores que pretendem retirar.

Agora, com a adição de confirmação de vídeo, a China tornou-se um dos países mais fortemente regulamentadores para exchanges Bitcoin.

Enquanto alguns traders podem se sentir atraídos pela clareza que estes regulamentos fornecem, outros podem optar por alternativas p2p como LocalBitcoin e BitKan  que oferecem maior privacidade e que têm registrado grandes volumes de negociação desde a repressão PBoC.

No longo prazo, as regulamentações impostas sobre as exchanges podem contribuir para um mercado Bitcoin mais saudável e descentralizado e ajudar a aumentar a reputação global do Bitcoin no país.

Além disso, a introdução de regras e diretrizes claras pode abrir caminho para criptomoedas alternativas a serem adicionadas nessas exchanges que, até agora, só dedicam-se ao Bitcoin e Litecoin.

Leia também  Primeira venda de imóvel com Bitcoin é feita com sucesso em Sumaré/SP

Fonte: Bitcoinist.com

Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Bitcoin entra no Top 5 de pesquisas no Google, Ethereum está em 18º

O Bitcoin está entre os cinco assuntos mais pesquisado no Google, de acordo com dados do Google Trends. O resultado abrange somente os EUA e indica que o “Bitcoin” foi pesquisado mais…

3s Comentários

A próxima onda de aplicações Ethereum está a caminho

Enquanto os críticos têm muito tempo apontado Ethereum para a falta de projetos de produção, uma nova onda de aplicações descentralizadas (ou ‘dapps‘) está fazendo progressos notáveis. Nos últimos meses,…

0 Comentários
Vai ficar de fora?
Para manter-se atualizado sobre novidades, ofertas e dicas, informe-nos que você gostaria de receber atualizações por e-mail inserindo seu endereço de e-mail e clicando para se inscrever. Como usamos as suas informações?​

INSCREVER
close-link