Exchanges chinesas agora exigem verificação por video

0 Comentários
Imagem Reprodução

As exchanges chinesas de Bitcoin estão se preparando para retomar os saques de bitcoin após a implementação de um procedimento de verificação por vídeo.

Conforme os e-mails em que as exchanges chinesas detalham as informações exigidas dos clientes para processar suas retiradas, os usuários estão recebendo e-mails anunciando a verificação de identidade por vídeo, de acordo com os mais recentes procedimentos impostos pelo Banco Popular da China.

O email:

De acordo com os regulamentos da KYC / AML e os procedimentos de monitoramento da conta que a Huobi está sujeita, iniciaremos a verificação por vídeo às 17:00 de 28 de março (GMT +8), por favor coopere para concluir a verificação de vídeo conforme solicitado, ou poderá afetar suas retiradas.

Ou seja, duas das maiores exchanges chinesas a Huobi e OKCoin começaram a implementar a verificação por vídeo.

Leia também  Airbnb acaba de adquirir uma equipe de especialistas em Bitcoin e Blockchain

Recentemente, o PBoC propôs um projeto em que as exchanges no país considerassem aceitar esse tipo de verificação, uma prática que é comum aos bancos tradicionais, mas não às exchanges Bitcoin.

No entanto, o movimento mais recente das exchanges sugere que esses tipos de verificações não serão implementadas, pelo menos por enquanto. Significa também que, se o PBoC e exchanges finalmente chegarem a um acordo sobre procedimentos de AML (Anti-Money Laundering), as retiradas de criptomoedas deverão ser retomadas muito em breve.

Exchanges Chinesas agora fortemente regulamentadas

O retorno das retiradas de criptomoedas deve ajudar as exchanges a recuperar alguns dos clientes que vêm se concentrando  em alternativas peer-to-peer nos últimos meses. No entanto, com a remoção da margem de negociação e taxas zero, é improvável que o mercado chinês recupere a sua quota de 90% do mercado global de negociação Bitcoin.

Leia também  Registre um domínio na internet pagando com Bitcoins

As exchanges exigirão que os utilizadores forneçam as suas informações pessoais, bem como explicações sobre as origens dos fundos, e os destinos dos valores que pretendem retirar.

Agora, com a adição de confirmação de vídeo, a China tornou-se um dos países mais fortemente regulamentadores para exchanges Bitcoin.

Enquanto alguns traders podem se sentir atraídos pela clareza que estes regulamentos fornecem, outros podem optar por alternativas p2p como LocalBitcoin e BitKan  que oferecem maior privacidade e que têm registrado grandes volumes de negociação desde a repressão PBoC.

No longo prazo, as regulamentações impostas sobre as exchanges podem contribuir para um mercado Bitcoin mais saudável e descentralizado e ajudar a aumentar a reputação global do Bitcoin no país.

Além disso, a introdução de regras e diretrizes claras pode abrir caminho para criptomoedas alternativas a serem adicionadas nessas exchanges que, até agora, só dedicam-se ao Bitcoin e Litecoin.

Leia também  Onde e como comprar e vender Bitcoin no Brasil

Fonte: Bitcoinist.com

Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Escreva um comentário

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.