Exchange Coreana (Bithumb) Hackeada – Dados de alguns usuários foram comprometidos

0 Comentários

Quinta maior Exchange do mundo e responsável por mais de 75% do volume no mercado sul-coreano, a Bithumb foi hackeada em 29 de junho.

Notícias dão conta que mais de 30 mil usuários tiveram suas informações (nome, e-mail e telefone) roubadas da plataforma. A Exchange afirma que isso representa 3% do número de clientes.

A Bithumb afirma que o computador de um funcionário foi invadido, e não o servidor. Logo, as informações comprometidas não afetam os endereços dos fundos, ou seja, efetivamente os endereços das criptomoedas estão preservados.

Todavia, jornais locais informam que mais de 100 clientes da Exchange já apresentaram alguma queixa perante a Agência Nacional de Polícia por terem seus fundos zerados.

 

O computador de um funcionário, e não o servidor da empresa, foi hackeado. Informações pessoais, como telefone celular e endereço de e-mail de alguns usuários, foram vazados. Entretanto, alguns clientes foram roubados por causa da senha descartável usada em transações eletrônicas

 

Leia também  É ISSO MESMO! Binance está abrindo um banco descentralizado e comunitário, o Founders Bank

 

Casos de Phishing

Há relatos de que alguns dos usuários que tiveram suas informações pessoais comprometidas, receberam falsas chamadas de funcionários da Bithumb para “confirmar dados cadastrais”.

Assim, uma vez conhecida a senha e os dados cadastrais, os hackers podem acessar as contas e extrair os fundos. Um dos usuários relatou que 10 milhões KRW (Won sul-coreano, algo em torno de R$ 29.000,00) foram roubados da sua conta.

Caso você tenha uma conta na Bithumb, recomendamos que altere sua senha (de preferência que seja forte, com letras, números e símbolos). Bem como, sempre que receber alguma ligação de um banco ou Exchange, desconfie. Em todo caso, pergunte a si mesmo se a empresa tem algum motivo para contatar você.

Leia também  Os principais eventos da semana (30.04.18 - 06.05.18)

Autor: José Domingues da Fonseca Neto

Advogado, atua na área de direito societário e tributário, escreve para o Guia do Bitcoin sempre que pode.