Errata: Bitcoin não é ilegal na Índia, imprensa indiana relatou erroneamente

Pedimos desculpas aos nossos leitores pela publicação anterior dessa postagem, pois erroneamente foi publicado pela imprensa Indiana.

Uma série de principais fontes de notícias indianas informaram que o bitcoin foi considerado ilegal pelo governo indiano. Eles estão errados.

Na sessão de hoje do Rajya Sabha, a câmara alta do Parlamento da Índia, um político indiano falou sobre o bitcoin, uma criptomoeda que é cada vez mais adotada entre os Indianos.

Arjun Ram Meghwal, Ministro de Estado da União em Finanças, disse numa resposta escrita durante uma sessão de Rajya Sabha hoje:

“A ausência de contrapartes no uso de moedas virtuais, incluindo a Bitcoins, para atividades ilícitas e ilegais em sistemas anônimos / pseudônimos poderia submeter os usuários a violações não intencionais de leis contra o branqueamento de capitais e o combate ao financiamento de leis de terrorismo.”

Meghwal também apontou a postura nuance tomada pelo Reserve Bank of India (RBI), o banco central do país. “Nenhuma aprovação regulamentar, registro ou autorização é declarado ter sido obtido pelas entidades envolvidas para a realização de tais atividades”, acrescentou Meghwal. O RBI emitiu um aviso público em fevereiro, advertindo bitcoin adotantes que as empresas que lidam com bitcoin ou moedas digitais não foram autorizadas.

Leia também  Capitalização de mercado do Bitcoin ultrapassa valor do Deutsche Bank em meio a reversão

Embora os detalhes sejam escassos, a resposta poderia ser plausivelmente uma resposta às preocupações levantadas por Kirit Somaiya na semana passada. Um membro do parlamento, Somaiy,  pediu a regulamentação do bitcoin e questionou se era um esquema de ponzi pirâmide.

Ambos os políticos são membros do Partido Bharatiya Janata ou BJP, partido conservador da Índia no centro.

Falso sensacionalismo da Imprensa Indiana

Como Ministro de Estado das Finanças, a tomada de Meghwal em bitcoin na Índia é certa para atrair a atenção. De sua declaração, é evidente que usuários de bitcoin envolvidos em “atividades ilícitas e ilegais” poderiam atrair a visão geral das leis de combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo. Em nenhum momento foi explicitamente afirmado que bitcoin é ilegal.

A declaração de Meghwal foi relatada pelo “Press Trust of India”, uma cooperativa sem fins lucrativos que é a maior agência de notícias no país. A cooperativa de notícias conta com mais de 500 jornais indianos como seus membros. Seu relatório sindicalizado agora foi exposto e duplicado nas principais estações de mídia de jornais e TV “cujos editores optaram por tomar o ângulo sensacionalista”.

Leia também  $4 bilhões: Homem russo preso por esquema de lavagem com Bitcoin
Veja como a imprensa indiana relatou as declarações de Meghwal:
  • NDTV, uma importante casa de mídia indiana foi com a manchete, “Uso de Bitcoin ilegal adverte Ministro de Estado para as finanças.”
  • O Economic Times, a maior notícia de negócios indiana diária escreveu em seu e-portal, “Uso de Bitcoin ilegal, pode atrair anti-lavagem de dinheiro lei.”
  • O New Indian Express, um importante jornal de notícias indiano também foi com a mesma manchete em sua publicação on-line. O mesmo aconteceu com o Hindustan Times, o investidor MoneyControl ea maior revista de notícias da Índia, a India Today.

 

Ontem, uma grande bolsa de bitcoin indiana, a Zebpay, escreveu “O Bitcoin é legal sob todas as leis existentes“, acrescentando que era negócio como de costume para as exchanges de criptomoedas, após as declarações da semana passada por Kirit Somaiya. As bolsas indianos estabeleceram notavelmente um órgão de auto-regulação enquanto aderiram aos procedimentos do KYC depois que o RBI foi para a indústria.

Leia também  Um olhar mais atento para a DASH (Parte 1)

As declarações de Meghwal certamente aparecerão como uma notícia nos jornais da Índia na manhã de quarta-feira. Ainda há tempo para corrigir essas manchetes imprecisas.

Via: Cryptocoinsnews
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *