Empresário sul-coreano vendeu Bitcoins por 2 milhões em notas falsas de euro

0 Comentários

Segundo o portal TheNextWeb, um empresário sul-coreano foi vítima de dois criminosos da Sérvia que compraram bitcoins no valor de 2 milhões de euros (US $ 2,3 milhões), o problema é que as notas eram falsas, as notas segundo a polícia foram falsificadas no photoshop.

Os dois criminosos convidaram a vítima para um luxuoso hotel cinco estrelas em Nice na França, fizeram toda a negociação e pagaram em vez de dinheiro real, entregaram a vítima maços de dinheiro em notas de 500 euros, totalizando os 2 milhões de euro.

O empresário que tem uma empresa de criptomoedas em Cingapura, ao perceber o golpe chamou a polícia, que conseguiu prender um dos criminosos em Cannes. Ele já havia comprado um relógio no valor de 100.000 euros e um carro de luxo. O comparsa ainda está foragido.

Recentemente, um outro cripto-milionário também foi roubado. Os bandidos o persuadiram a investir numa criptomoeda que seria adotada por um cassino em Macau, dessa forma conseguiram roubar US $ 35 milhões em Bitcoin. Tempos depois quando a vítima percebeu que os lucros na participação no cassino não estavam sendo pagos, que ela percebeu o golpe.

Vale destacar que, o Banco Central Europeu já anunciou que as notas de € 500, deixarão de serem emitidas até o final de 2018. O Banco Central Europeu (BCE) acredita que “essas notas podem facilitar atividades ilícitas”.

Guia do Bitcoin

Escreva um comentário

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.