“Destrua o bitcoin”: MIT, diz que há três maneira de neutralizar o Bitcoin

8s Comentários

O MIT Technology Review, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, publicou um artigo intitulado “Vamos destruir o Bitcoin”, onde apresenta três maneiras de eliminar a principal criptomoeda.

Ataque Estatal

Segundo os analistas, a criação de uma moeda digital nacional com base no Federal Reserve System (FRS), a chamada Fedcoin, será o fim do bitcoin. Na blockchain da Fedcoin, instituições financeiras confiáveis ​​e certificadas (como JPMorgan & Chase e Bank of America) agirão como nós autorizados, o que substituirá o modelo de redes P2P.

“Vamos pensar que num futuro distante, você ao pagar impostos. Só agora você não preenche nenhuma declaração, porque o algoritmo especial escreve a quantia necessária de sua carteira eletrônica equivalente a Fedcoin “, diz o artigo.

Este conceito foi descrito pelo pesquisador do Fed em St. Louis por David Andolfatto e complementado pelo Bacharel da Universidade de Yale Sahil Gupta. Este último está convencido de que a moeda digital, emitida pelo banco central, pode se tornar a rede de pagamento mais eficiente e rápida, e muito dinheiro serão economizados.

Além disso, o banco central canadense em 2016 desenvolveu uma simulação de o tal sistema com a blockchain Ethereum, a fim de avaliar a viabilidade e as perspectivas para tais atividades.

Ataque do Facebook

O Facebook é a maior rede social do mundo, com uma audiência mensal de usuários ativos superior a 2 bilhões de pessoas. Como o Telegram, a empresa pode decidir emitir sua própria moeda digital ou seguir de uma maneira mais “traiçoeira”: criar uma carteira de bitcoin para cada usuário.

No Facebook, os usuários serão recompensados ​​em Bitcoins pela visualização de conteúdo publicitário ou até usar a rede social no modo ad-free, permitindo a empresa utilizar o poder de processamento dos computadores para mineração de bitcoin.

“Se uma empresa puder convencer a maioria dos usuários e mineradores de Bitcoin para usar um cliente especial Bitcoin do Facebook, a rede social será capaz de definir as regras do jogo e, como resultado transformar a versão corporativa do Bitcoin Fedcoin, afirma o artigo do MIT.

Uma nova criptomoeda

Criar muitas novas moedas digitais para cada caso: comprar um telefone de uma determinada empresa, carro, produtos em uma determinada loja e pagar por serviços básicos, de acordo com os analistas do MIT que publicaram o artigo, fará com que o bitcoin seja insignificante. Além disso, muitas empresas já estão ocupadas criando seus próprios tokens, o que indica que esse cenário está sendo implementado hoje.

Nesse caso, a vantagem óbvia do bitcoin será o anonimato e a impossibilidade de censura, embora, de acordo com Edward Snowden, a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) já esteja envolvida na identificação de usuários de bitcoin.

Representantes do MIT estão convencidos de que se as criptomoeda forem amplamente utilizadas no futuro, serão as “massas” e não os primeiros seguidores do Bitcoin que vão determinar o futuro da principal criptomoeda e assim modificar a visão de Satoshi Nakomoto.

Guia do Bitcoin

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin!
Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Feed RSS: http://guiadobitcoin.com.br/feed/

[jetpack_subscription_form title=”Bitcoins no seu e-mail” subscribe_text=”Digite o seu e-mail” subscribe_button=”Quero receber” show_subscribers_total=”1″]

 

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.