Coréia do Sul legaliza transferências internacionais com Bitcoin, desafiando bancos tradicionais

A partir da próxima semana, o Bitcoin estará na lista aprovada de tecnologias que podem mover pagamentos em toda a fronteira sul-coreana. As empresas de Fintech no país poderão obter uma autorização que lhes permita oferecer serviços de transferência internacional da Bitcoin.

Nova Lei torna transferências Internacionais de Bitcoin legais

A partir do dia 18 de julho, a Lei de Transações de Câmbio do Sul da Coréia alterada permitirá que as empresas de Fintech se inscrevam no Serviço de Supervisão Financeira (FSS) para “fornecer legalmente serviços de transferência de dinheiro para fundos pequenos”.

Uma vez registradas, as empresas podem usar vários métodos para enviar dinheiro para o exterior, incluindo o uso do Bitcoin. A lei alterada especificamente permite as remessas de moedas digitais, “que eram ilegais sob a lei de transações cambiais”, escreveu o jornal on-line Dailian.

Leia também  Ministro da Justiça Húngara propõe que moedas virtuais podem ser confiscadas de suspeitos

Para obter uma autorização, uma empresa fintech deve ter um capital de mais de 2 bilhões de won (aproximadamente 1,75 milhões de dólares no momento da escrita) e uma relação dívida/capital abaixo de 200%, explicou The Herald, acrescentando aquele:

“Uma transferência única através de uma empresa fintech será limitada a US$ 3.000 ou menos por pessoa. Por uma conta, um limite anual para as transferências internacionais de dinheiro através de empresas fintech será fixado em US$ 20.000.”

Bancos vão se tornar obsoletos?

A lei alterada permitirá que os novos concorrentes possam competir com os bancos tradicionais, oferecendo serviços de transferência de dinheiro em uma fração das taxas dos titulares, com um menor tempo de transferência, pois bancos levam dois ou três dias para completar uma transferência, escreveu a matéria.

Leia também  Projeto de blockchain Hyperledger agora possui 11 novos membros

Enquanto isso, o fornecedor de serviços de remessa de Bitcoin, a Coinone, cobra apenas uma taxa de comissão de 1% e “os depósitos são feitos dentro de 3 minutos após a solicitação de transferência de dinheiro”, mostra o site.

Os bancos domésticos precisam encontrar maneiras de fornecer serviços de remessa para taxas simples e baratas e estabelecer novos modelos de lucro através de parcerias com fintechs.

A indústria mundial de transferência de dinheiro deverá crescer para aproximadamente US$ 600 bilhões este ano, de acordo com pesquisas da Infosys. Cerca de 40 startups Fintech estão programadas para lançar serviços internacionais de transferência de dinheiro a partir do dia 15 de agosto.

Via: News Bitcoin
Tradução: Guia do Bitcoin

Posts relacionados

Leia também  Banco e empresa do grupo Mitsubishi investem em startup de bitcoin Coinbase

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *