Coinbase se torna alvo de ação coletiva na justiça dos EUA por conta de CEO da Cryptsy

Uma ação movida contra a , alega que a empresa não cumpriu seus requisitos regulatórios para fazer sua diligência e investigar a atividade do CEO da e as contas que mantinha na .

Contas da Coinbase supostamente mantinham fundos roubados

Quando US$ 8,2 milhões em fundos de clientes desapareceram das contas de usuário da Cryptsy em 2014-15, uma ação coletiva foi lançada quase imediatamente contra a exchange de  e o seu serviço de carteira (wallet).

O grupo que liderou esse processo agora tem como alvo uma das maiores  de bitcoin, a Coinbase.

O Silver Law Group e o Wites & Kapetan, P.A. entraram ontem com um processo de ação de classe nacional em tribunal federal contra o negócio de serviços de moeda com sede em São Francisco e exchange de criptomoedas, a Coinbase Inc. – uma das marcas mais reconhecidas no espaço de criptomoedas – afirmando que a empresa deveria ter reconhecido os fundos mantidos da Cryptsy que foram lavados e adquiridos de forma irregular.

Leia também  Coinbase atinge marca de 10 milhões de usuários e $20 bilhões em volume de negócios
Imagem: reprodução

Paul Vernon, ex-CEO e principal operador da Cryptsy, supostamente liquidou US$ 8,2 milhões em ativos de clientes para seu próprio benefício através de contas mantidas na Coinbase.

A ação alega que a Coinbase sabia que os U$ 8,2 milhões eram receitas da Cryptsy e que o próprio Sr. Vernon pessoalmente a possuía e que a Coinbase não cumpriu seus requisitos regulatórios para fazer sua devida diligência e investigar a atividade do Sr. Vernon e suas contas na Coinbase.

A ação diz que mais de US$ 8.200.000,00 foram lavados com a Coinbase e acredita-se que Vernon tenha fugido com o dinheiro para a no final de 2015.

Ação na justiça agora tem como alvo a Coinbase

A ação coletiva na Corte do Tribunal do Distrito dos Estados Unidos do Distrito Sul da Flórida (caso no. 9: 16-cv-81992) solicita indenização para todos os proprietários de contas da Cryptsy que depositaram fundos na exchange, e apenas os que o perderam para o Sr. Vernon na lavagem dos referidos recursos através da Coinbase. Esses perderam o acesso às suas contas e fundos entre 22 de maio de 2014 e a data presente.

Leia também  Bovespa, maior bolsa de valores da América do Sul, se junta ao consórcio Blockchain R3

A ação alega que a Coinbase ajudou a lavagem de dinheiro e o enriquecimento sem motivos, justamente por violar suas obrigações fiduciárias.

CEO da Cryptsy não notificou seus clientes sobre as perdas

Vernon fugiu para a China, onde sua ex-esposa afirmou que ele tinha um caso extra-conjugal no país.

Ele anunciou o hack publicamente somente um ano e meio depois de milhões de dólares de bitcoin e litecoin terem sido hackeados de sua empresa, em julho de 2014.

“O plano era usar uma parte da receita para reabastecer as carteiras. No entanto, a diminuição do preço e do do bitcoin acabou não sendo favorável para nós”, escreveu ao New Times. “Na época, eu tinha duas opções, divulgar e encerrar as operações ou tentar continuar correndo atrás e readquirindo os fundos do usuário. Porque estávamos bem em cima, e eu tentei a opção #2.”

O processo de ação coletiva mantém a tese de que não houve nenhum hack. Ele afirma que o Vernon fugiu com o dinheiro, e que a Coinbase deveria saber.

Leia também  Mineradores de Bitcoin estão sinalizando para o Segwit2x cedo demais

A Coinbase divulgou notícias na semana passada, quando a IRS (receita federal dos procurou dois anos de dados dos clientes, relativos a contas de bitcoin na bolsa. A Coinbase prometeu lutar contra a IRS em tribunal.

Via: News Bitcoin
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *