Câmara dos deputados discutirá hoje fraudes e pirâmides envolvendo Bitcoin: MinerWorld foi citada

20s Comentários

Segundo o site da Câmara dos deputados, será realizada nesta quarta-feira (8) audiência pública para debater a possibilidade de crimes, no âmbito do mercado de moedas virtuais, e as suas implicações para os consumidores.

O encontro, organizado pela Comissão Especial das Moedas Virtuais (PL 2303/15), foi proposto pelos deputados Expedito Netto (PSD-RO), Aureo (SD-RJ) e Alexandre Valle (PR-RJ).

Expedito Netto observa que, em maio de 2017, foram divulgadas notícias de que as empresas brasileiras D9 e MinerWorld estão sendo investigadas pela Comissão Nacional de Valores do Paraguai sob acusação de fraude, e suspeita de operar um esquema de pirâmide financeira. “A Minerworld se apresenta como uma empresa ‘mineradora’ de bitcoin”, quando na verdade não conseguiu provar veracidade dessa informação.

“Minerando no Egito”: um esquema Faraônico

Segundo Netto, a empresa atrai investidores oferecendo “lucros da mineração de bitcoins”. Em agosto deste ano, a MinerWorld foi denunciada ao Ministério Público Federal por oferecer aos seus clientes “retornos exorbitantes” de até 100% do investido, bem como bônus àqueles que indicassem novos investidores para o esquema, caracterizando uma pirâmide financeira.

Alerta: possibilidade de prática de pirâmide financeira

A denúncia está sob análise na Coordenadoria Criminal da Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul e aponta para a possibilidade de prática de pirâmide financeira ou o chamado esquema ponzi, o que caracteriza crime contra a economia popular.

“O fato denota a possibilidade de fraudes no mercado de moedas virtuais e enseja a oitiva do Ministério Público Federal, cuja função é punir essas práticas, bem como da Secretaria Nacional do Consumidor”, defende Expedito Netto.

Foram convidados:

  • A diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor, Ana Carolina Pinto Caram Guimarães;
  • A 1ª Promotoria de Defesa do Consumidor (Prodecon) do Ministério Público, Paulo Binicheski;
  • O doutor em Direito pela USP, autor do livro “Crimes Informáticos e suas Vítimas”, Spencer Toth Sydow;
  • O delegado da Coordenação de Repressão aos Crimes contra Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes da Polícia Civil do DF, Wisley Salomão;
  • Representante do Ministério Público.

A audiência terá início às 14h30 (horário de Brasília). O local ainda não foi definido.

A MinerWorld é totalmente suspeita e seus documentos com supostas “provas” já foram desmentidos pela comissão de valores do Paraguai e por especialistas em tecnologia Blockchain. A “empresa” consta na Blacklist e em sites de fraudes internacional, como o BadBitcoin.org.

Link da proposta na íntegra.


Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin!

Telegram: http://telegram.me/guiadobitcoin
Facebook: https://www.facebook.com/guiadobitcoin/
Twitter: https://twitter.com/guiadobitcoin
Feed RSS: http://guiadobitcoin.com.br/feed/

[jetpack_subscription_form title=”Bitcoins no seu e-mail” subscribe_text=”Digite o seu e-mail” subscribe_button=”Quero receber” show_subscribers_total=”1″]

Escreva um comentário

20 Comments

Brasileiro é muito corrupto, indignado!

Será que vão falar da MMM ? Deveriam!

Porra um monte de roubo no congresso e os caras falando em fraude com bitcoin. Tá de sacanagem esses FDP, primeiro resolver o problema da corrupção no governo!!!!! Se os caras querem investir nessas empresas problema é deles. O que não pode é ficar reclamando depois.

Justificar um crime (pirâmide financeira) com outro crime (praticado pelos político) é burrice!

Quem sao esses politicos pra falarem em roubo, concordo com o colega deixa o pessoal investir seu dinheiro onde achar melhor, e depois outra, quer maior piramide que a nossa previdencia, que um monte vem metendo a mao constantemente e nos somos obrigados a continuar contribuindo todo mes pra piramide nao cair.

Você é burro 🙂

Tá replicando tudo o que o seu CEO, Cicero Saad, anda falando nos cultos da Minerworld. Diz pra ele parar de perseguir a Previdência Social ao falsificar guias de pagamento do INSS/FGTS.

Minerworld – maior esquema pirâmide “PONZI” de bitcoin do Brasil

Porque o guia do bitcoins não publica tambem que este mesmo deputado Expedito Netto , quem abriu esta discussão sobre este tema na câmara, tambem está sendo investigado pelo MPF. ?
segue o link pra todos terem conhecimento, vamos ser imparciais.

http://www.extraderondonia.com.br/2017/04/07/mpf-acusa-deputado-expedito-netto-por-fraude-no-uso-de-verbas-do-gabinete/

Brasileiro é muito corrupto, indignado!

Será que vão falar da MMM ? Deveriam!

Porra um monte de roubo no congresso e os caras falando em fraude com bitcoin. Tá de sacanagem esses FDP, primeiro resolver o problema da corrupção no governo!!!!! Se os caras querem investir nessas empresas problema é deles. O que não pode é ficar reclamando depois.

Quem sao esses politicos pra falarem em roubo, concordo com o colega deixa o pessoal investir seu dinheiro onde achar melhor, e depois outra, quer maior piramide que a nossa previdencia, que um monte vem metendo a mao constantemente e nos somos obrigados a continuar contribuindo todo mes pra piramide nao cair.

Justificar um crime (pirâmide financeira) com outro crime (praticado pelos político) é burrice!

Minerworld – maior esquema pirâmide “PONZI” de bitcoin do Brasil

Tá replicando tudo o que o seu CEO, Cicero Saad, anda falando nos cultos da Minerworld. Diz pra ele parar de perseguir a Previdência Social ao falsificar guias de pagamento do INSS/FGTS.

Porque o guia do bitcoins não publica tambem que este mesmo deputado Expedito Netto , quem abriu esta discussão sobre este tema na câmara, tambem está sendo investigado pelo MPF. ?segue o link pra todos terem conhecimento, vamos ser imparciais.http://www.extraderondonia….

Porque será que os “miner trouxas” insistem em dizer que o governo é corrupto e a Minerworld lícita?https://noticias.r7.com/ecohttps://medium.com/@helenam

Você é burro 🙂

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.