BNDES lançará stablecoin no começo de 2019

0 Comentários

O BNDES, Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico Social, anunciou que lançará uma stablecoin pareada com o Real em 2019. A informação foi revelada com exclusividade ao Coindesk

A moeda tem lançamento previsto para janeiro do próximo ano e tem como indexação um valor de 1 para 1 em relação ao Real. O token será construído com base na blockchain Ethereum, com consultoria do ConsenSys e vai ser usado para a contribuições dedutíveis de imposto para instituições culturais.

Essa não é a primeira vez que o BNDES trabalha com o Ethereum, tendo feito diferentes ações usando ativos digitais. Provavelmente a instituição financeira estava testando aspectos e possibilidades para o seu novo token.

Como primeira ação, o banco vai repassar uma grande quantia de “BNDS Token” para a Agência Nacional do Cinema para criar e promover roteiros e produções do cinema no Brasil.

Por ser um banco nacional e estar diretamente ligado com diversas fraudes ligadas ao poder público, o BNDES está com problemas de confiança por parte do público. Os criadores do projeto piloto têm como objetivo recuperar um pouco dessa confiança com os dados do BNDES em blockchain, garantindo transparência completa sobre os fundos transferidos.

O teste inicial vai usar como base os certificados de identificação eletrônica do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoal Jurídica), ferramenta que já está bem comum entre as empresas como documento oficial de registro.

Em entrevista para o Coindesk, a gerente de desenvolvimento de sistemas Vanessa Almeida disse:

“Nós temos uma identificação no Brasil que tem um certificado para mandar o token para as companhias. A companhia tem sempre que assinar esse certificado…Nós vamos saber com antecedência para qual endereço os ativos estão sendo enviados.”

Vanessa concluiu:

“Nós podemos aplicar regras usando contratos inteligentes. A companhia que receber o dinheiro só poderá gastá-lo com companhias que estão trabalhando dentro do setor cinematográfico”.

Uma ferramenta contra a corrupção?

O chefe da equipe técnica da iniciativa de blockchain do BNDES falou para o CoinDesk que o banco vai avaliar os resultados do projeto piloto e considerar a expansão para outras organizações que recebem fundos públicos.

O BNDES é responsável por administrar fundos para diversas organizações e com diferentes propósitos. Desde a cultura, como é o caso da ANCINE, até obras públicas de diversas proporções.

Com o ativo digital ligado à rede Blockchain, é possível que os recursos tenham menos problemas com desvios, já que tudo vai ser rastreado.

Rosine Kadamani, fundadora da Blockchain Academy, comentou sobre a possibilidade da stablecoin ajudar na segurança de fundos públicos.

“Infelizmente o Brasil é bem conhecido pela corrupção, isso deixa todos questionando sobre o uso do dinheiro público. Eles podem começar com uma stablecoin para controle de contas, já que eventualmente tudo volta para o banco. Mas no futuro, se o projeto der certo, existem outros usos.”

Veja também outro investimento brasileiro nos criptoativos: O GaloCoin

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.