Relatório diz que Bitstamp manipulou mercado do Bitcoin

2s Comentários

2019 tem sido um ano excelente para o criptomercado, apesar de não estarmos nem perto das ATHs de 2017, quando o Bitcoin e praticamente todas as outras altcoins atingiram valores impressionantes. Porém, mesmo durante a boa fase, tivemos diversos tropeços que alteraram a forma como o mercado se comportou.

Um desses principais tropeços, e que teve um forte impacto dentro do mercado foi o evento chamado de “Flash Crash da Bitstamp”.

Esse foi um evento em que o preço do Bitcoin despencou em poucos segundos, causando uma perda milionária em todo o mercado. Agora, um novo estudo indicou que o flash crash pode ter sido mais do que um simples acidente ou trabalho de alguma baleia anônima.

O Flash Crash da Bitstamp

Um trader da exchange Bitstamp supostamente colocou uma ordem de venda de 5.000 BTC a um preço estranhamente baixo de US$6.200, quando o Bitcoin estava em um excelente momento de alta, passando facilmente dos 7 mil dólares.

Este movimento causou uma queda enorme no preço do Bitcoin listado na exchange, criando uma excelente oportunidade de arbitragem temporária.

O efeito logo se espalhou por todo o mercado, principalmente em outras exchanges, com a média do mercado BTC caindo para cerca de US$7.100.

A queda não chegou a durar muito tempo, com o Bitcoin rapidamente voltando a se consolidar acima dos 7.200 dólares por token. Porém, o flash crash trouxe problemas para o Bitcoin, que vamos discutir logo mais.

Na época, muito foi especulado sobre o motivo que teria causado essa queda repentina, desde baleias dentro do mercado ou então um glitch com os bots da Bitstamp.

No entanto, dada a falta de variação de volume significativa no momento do acidente, parece improvável que o acidente foi resultado de um dump deliberado.

Por outro lado, olhando para o gráfico do Bitstamp, o despejo ocorreu em um período de 10 a 12 minutos, com os pedidos sendo continuamente executados em níveis consecutivamente mais baixos do que o preço de mercado.

Tal padrão cheira a manipulação de mercado, mas a compensação parecia contra produtiva na época. Isso levou que alguns especulação que, seja lá quem realizou o dump, podia estar realizando altas apostas de alavancagem em outras exchanges.

Teoricamente, o despejo causaria a liquidação maciça de posições longas, garantindo assim lucros para o trader realizando o dump.

Por causa das muitas especulações e do impacto do flash crash, a própria Bitstamp iniciou uma investigação interna, afinal, ela afirmou que todos os seus sistemas estavam funcionando de forma correta.

Consequências do flash crash

Esse flash crash teve várias consequências para o criptomercado, sendo um deles a perda de mais de $250 milhões de dólares. Porém, o problema maior foi que, pouco antes do crash, o Bitcoin estava em um movimento parabólico em que demonstrava uma valorizada cada vez maior eminente.

Logo depois da queda, a movimentação parabólica foi interrompida, o que fez a maior criptomoeda do mundo estagnar por um tempo, evitando o crescimento quase certo que estava sendo aguardado.

O estudo da Echelon Analytica e a culpa da Bitstamp

Existem cinco teorias do que acontece no dia 17 de maio com a queda do preço do Bitcoin: Um dump planejado, erro humano, execução de uma ordem de venda gigantes (5.000 BTC) e manipulação intencional com lances manuais ou automáticos.

Para realizar a pesquisa sobre a queda brusca de preço, os analistas da Echelon consideraram o valor de US$7.600 como o início do dump.

Com esse valor, temos as seguintes perdas: Binance e Bitfinex com uma queda de 8% no preço do Bitcoin, Coinbase e Kraken com 13%, BitMEX com 16% e Bitstamp com 19%.

O relatório da Echelon ressalta que durante 10 minutos de queda, houve um crescimento no volume de trading da Binance, Bitfinex, Kraken e Coinbase, cenário típico quando há movimentos bruscos no preço. Já na Bitstamp, o volume de negociação durante o tempo foi insignificante, o que o tornou extremamente suspeito.

Novamente o volume de negociação voltou a apresentar um volume suspeito quando o Bitcoin recuperou o seu valor.

Através da pesquisa conduzida pela Echelon, os analistas acreditam que existem diferentes sinais de que a Bitstamp manipulou o mercado para derrubar o preço do Bitcoin.

Uma das “dicas” da manipulação é que se uma Baleia tivesse realizado um dump deliberado na exchange, o cenário do gráfico da Bitstamp seria completamente diferente das outras exchanges, o que não foi o caso, já que as principais exchanges pesquisadas tiveram movimentações muito parecidas.

O erro humano foi descartado pela Echelon Analytica:

Qual é a probabilidade de um funcionário cometer um erro no momento em que o mercado mudou? É quase impossível. Além disso, é difícil acreditar que algum operador em pânico tenha feito uma grande ordem exatamente naquele momento”, destacaram os especialistas.

Já a teoria mais forte de que a culpa foi de uma Baleia também pareceu ser infundada para os pesquisadores.

Segundo eles, a versão mais aceita de que uma ordem de venda de 5.000 BTC causou o crash não faz nenhum sentido do ponto de vista em como os traders costumam a trabalhar dentro dessas exchanges.

“Você não precisa ser um trader profissional para entender que essa tese não pode ser uma explicação viável, já que ela está bem longe da realidade.”

A empresa argumenta que: Qual trader teria 5 mil Bitcoins em uma exchange? E se um trader tivesse isso tudo em uma exchange, por que ele venderia tudo de uma única vez da noite para o dia?

Curiosamente, um estudo paralelo realizado pela Binance, revela que o mercado do Bitcoin é capaz de liar com ordens de até 4.100 BTC sem variar mais do que 1% no valor.

 

Com isso, é difícil acreditar que um valor pouco maior que 4.100 tenha causado quase 20% na variação de preço.

Como a Bitstamp pode ter causado a queda de preço do Bitcoin?

A Echelon Analytica acredita que uma combinação de fatores pode ter facilidade a manipulação deliberada do mercado de Bitcoin no dia 17 de maio. Segundo a pesquisa, duas coisas podem ter causado a cada, uma baixa liquidez na exchange ou então uma “stop hunt”.

A stop hunt é uma estratégia de negociação em que você força o preço de um ativo para um valor onde a maioria dos investidores definiu o nível de stop-loss.

Como a Bitstamp é uma grande exchange, dificilmente ela teria problemas com liquidez, o que deixa a segunda opção como a mais provável.

A pesquisa conclui que eles acreditam que a Bitstamp utilizou um software de stop hunting para manipular o valor do Bitcoin. A companhia nota que eles não podem provar que isso aconteceu, mas é o que indica as observações que fizeram da situação.

Veja também: Ex-funcionário da SEC diz: “Valor do Bitcoin cairá até atingir zero”

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Escreva um comentário

2 Comentários

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.