Análise: Bitcoin demonstra tendência de alta no longo prazo e baixa no curto

0 Comentários

O Bitcoin agora não possui mais um viés direcional claro em meio à trégua comercial EUA-China e a melhoria resultante no sentimento de risco nos mercados financeiros globais.

Durante o período de crise entre os dois países, os investidores estavam apostando no Bitcoin como uma reserve de valor. Agora, com a crise em situação de calmaria, o Bitcoin volta a ser utilizado para especulação.

Muitos observadores consideram o BTC um porto seguro; no entanto, um estudo recente mostrou que a maioria dos traders de criptomoedas “gostam de correr riscos.” Simplificando, o BTC ainda é um ativo de risco e especulação.

O BTC ficou restrito na maior parte do tempo a uma faixa estreita entre US$8.250 a US$8.450 desde o dia 11 de outubro.

O gráfico de 4 horas mostra que a consolidação é precedida por uma falha na quebra e um aumento no canal – uma configuração de baixa. Além disso, a criptomoeda está lutando para se elevar acima da média móvel de 200 dias, um barômetro da tendência de longo prazo.

O BTC, portanto, corre o risco de voltar a valores baixos recentes por volta de US$7.800. A situação de baixe enfraqueceria caso os preços subam acima da média de 200 dias, atualmente localizada em US$8.739.

Bitcoin a longo prazo – Tendência de alta

A perspectiva de longo prazo do Bitcoin é otimista, já que a recompensa da mineração será reduzida pela metade em maio de 2020. O caso otimista parece mais forte se levarmos em conta a narrativa fortalecedora de que a principal criptomoeda é um ouro digital e um hedge contra a inflação.

Muitos observadores acreditam que a era da taxa de juros negativa poderia forçar o investidor tradicional a despejar dinheiro em criptomoedas. Afinal, o BTC é o ativo com melhor desempenho de 2019 e possivelmente da década.

Gráficos técnicos, no entanto, estão relatando sinais conflitantes. Para começar, as médias de 100 e 200 dias produziram um cruzamento de bulls no gráfico de três dias. Um cruzamento semelhante em março de 2016 foi seguido por um mercado em alta durante 21 meses.

No entanto, a alta parece fraca nos gráficos de duração mais longa. O Bitcoin fechou abaixo de US$9.049 no dia 30 de setembro. confirmando uma reversão de velas no gráfico mensal.

A criptomoeda havia demarcado consecutivas velas internas em julho e agosto, indicando indecisão ou consolidação.

O cabo de guerra entre os touros e os ursos terminou com uma queda de 20% em setembro. Além disso, o índice de força relativa semanal agora está relatando condições de baixa com uma impressão abaixo de 50.

O arranjo de velas de baixa tem precedência sobre o crossover de alta no gráfico de três dias, já que o último é um indicador de atraso. Além disso, a criptomoeda teve uma negociação lateral por semanas após o bull cross de março de 2016 e o mercado em alta foi retomado no final de maio de 2016.

BTC em 2016 e 2019 mostrando movimentações similares que precederam uma alta.

Simplificando, o Bitcoin pode sofrer uma queda para US$7.200, conforme sugerido no gráfico mensal, antes de retomar o mercado em alta.

Nota: Essa é uma análise traduzida da newsletter do site CoinDesk e não uma sugestão de investimento.

Veja também: Escola Judicial de Fortaleza oferece curso de criptomoedas focado em Juízes

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.