Bitcoin se tornou o dinheiro inteligente e principal ativo da China

“Estamos começando a ver um monte de dinheiro inteligente entrar no país e ficar por lá”, diz Ryan Rabaglia, Head Trader da Octagon Strategy, Uma empresa de Commodity e Digital Asset Trading com sede em Hong Kong. “Na forma de instituições de pequeno a médio porte, tendo posições muito maiores em [bitcoin], e uma progressão natural para os maiores é certo seguir. Com todas as incertezas que nos rodeiam nos espaços de produtos tradicionais, estão sendo buscadas alternativas e, embora este espaço ainda seja estranho à maioria, não está impedindo os influxos de que estamos vendo”.

Investimentos dos Chineses estão concentrados em ativos digitais

A demanda por Bitcoin na China aumentou durante os últimos meses, em torno do halving. Ryan diz que a mesa de negociação que ele supervisiona viu um aumento de 70% no crescimento do negócio durante os últimos seis meses.

“É um pouco surpreendente que tenhamos este tipo de crescimento persistindo neste nível”, diz o trader experiente.

Embora ele tenha visto o dinheiro inteligente institucional ir e vir, Ryan percebe que – desta vez – a tendência é persistente. “Tem sido uma tendência muito consistente ao longo do ano passado”, diz ele. “Maiores comerciantes e compradores entraram no .”

Leia também  Parlamento Europeu reconhece a "dominância" da Blockchain do Bitcoin

Até agora não é nenhuma novidade que investidores ricos chineses usam o bitcoin para obter capital fora do país, já que o chinês e reguladores restringiram a saída de capital e limitaram a compra de seguros e imobiliário no exterior.

Como Pequim supostamente luta para gerenciar a depreciação do e a reserva da nação, o dinheiro inteligente na China migrou para os ativos digitais, que é liderado pela Bitcoin.

Interesse e valor do Bitcoin têm aumentado constantemente na China

faz declaração sobre Bitcoin

Ao longo do ano passado, quando a China implementou controles de saída de capital, a demanda por Bitcoin aumentou.

O Banco Popular da China fez uma declaração no final de sexta-feira sobre o bitcoin, chamando a volatilidade da moeda digital de “anormal” e aconselhando as empresas que operam no país sobre a conduta de negócios relacionados com bitcoin, incluindo as limitações no marketing e discussão do declínio do yuan.

A BTCC, popular de bitcoin com sede na China, afirmou que o PBOC queria alertar sobre a “volatilidade significativa na negociação do bitcoin, e também citando um aviso publicado em 2013 dizendo que o bitcoin é um bem virtual e não tem status de curso legal.”

Leia também  Blockchain recebe apoio de candidata a presidência nos EUA, Hillary Clinton

De acordo com o comunicado da BTCC, a empresa de mineração “se reúne regularmente com o Popular da China, e trabalhamos em estreita colaboração com eles para garantir que estamos operando de acordo com as leis e regulamentos na China“. O popular noticiário da China, o Caixin, especializado em negócios e finanças, comentou em comunicado sobre o PBOC:

“[…] as duas plataformas de negociação [de Bitcoin] em Pequim eram obrigadas a cumprir as exigências dos bancos centrais e disseram que a promoção não deveria mencionar a depreciação do yuan”.

Declínio do Yuan piora

No final de novembro, o Wall Street Journal informou que a China estava tendo problemas para estabilizar o declínio do yuan. A Goldman Sachs descobriu em dezembro a quantidade real de saídas das operadoras chinesas. Pequim, o banco de investimento dos , determinou que disfarçaram quanto capital estava deixando o país.

A Goldman calculou que, de agosto de 2015 a novembro de 2016, a saída chinesa de investimentos em Forex totalizou aproximadamente US$ 1,1 trilhão. Os dados globais implicam que a China tenha esgotado suas reservas mais rapidamente do que os dados do PBOC sugerem.

As participações em moeda estrangeira da China caíram pelo sexto mês consecutivo em dezembro. Em uma tentativa de estabilizar o yuan, Pequim drenou suas reservas de US$ 320 bilhões em 2016, registrando uma queda de US$ 41,1 bilhões. As reservas estão em um ponto baixo de cinco anos por US$ 3,01 trilhões, de acordo com comentários do Banco Popular da China.

Leia também  A Volatilidade do Bitcoin Lembra aos Investidores Sobre a Realidade de Investir em Moedas Digitais

As reservas chinesas caíram nos últimos dez trimestres em relação ao pico recorde de US$ 4 trilhões em junho de 2014. Uma notícia econômica como essa garante que o dinheiro inteligente chinês entre e permaneça no bitcoin.

O preço do Bitcoin em termos do yuan chinês alcançou um máximo histórico de aproximadamente 8.575 CNY antes de corrigir de acordo com a capitalização de mercado. Na publicação dessa matéria original, 1 bitcoin valia aproximadamente 6.498 CNY.

Via: News Bitcoin
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *