Por que precisamos do Bitcoin? Como os Bancos ganham dinheiro

1 Comente

O Bitcoin tem vários papéis, um dos principais é ser uma forma de devolver o poder monetário ao povo, descentralizar o controle dos bancos e mudar o sistema financeiro. Mas você sabe porque essa mudança é tão importante?

Bom, para isso é necessário primeiro entender como os Bancos, através de táticas predatórias, consegue lucros absurdos todos os anos.

Lembrando que esses são artigos adaptados do site Crypto Briefing, que tentam descobrir a importância do Bitcoin.

>>Quer aprender a ganhar dinheiro com Bitcoin? Clique aqui

As taxas e dívidas inevitáveis

Muitas pessoas se perguntam, como exatamente os bancos ganham tanto dinheiro? A resposta é mais complicada do que se imagina. Houve um tempo em que a maior parte das receitas de um banco seria recolhida por meio de taxas e juros de empréstimos. Nas últimas décadas, no entanto, vimos bancos expandindo seu alcance, estendendo um guarda-chuva mais amplo a muito mais atividade econômica.

Embora as taxas e os empréstimos constituam uma soma bastante robusta das receitas de um banco comercial, na verdade, ele está apenas arranhando a superfície do dinheiro que os bancos podem acessar e, assim, controlar.

O conceito-chave que realiza todas as ferramentas que um banco usa para se tornar rico é que o dinheiro fica concentrado continuamente em maior densidade, canalizando para uma proporção cada vez menor da população. 

As taxas são certamente uma das principais maneiras pelas quais os bancos geram receitas substanciais, geralmente às custas daqueles com menos dinheiro.

Pode-se observar, apenas examinando as estruturas de taxas, que existe uma relação inversamente proporcional entre a receita dos bancos e o status econômico desses clientes.

Para resumir de forma simples essa relação: quanto menor a renda do cliente do banco, maior o custo proporcional de acessar os serviços bancários.

As pessoas que geram renda mais baixa podem até renunciar ao uso de uma conta bancária inteiramente devido às taxas mensais básicas que podem ser inacessíveis para quem está à margem socioeconômica.

Nos EUA grandes bancos cobram taxas mensais a clientes que não mantêm um saldo de pelo menos US$1.500, por exemplo. Aqui no Brasil é até difícil encontrar Bancos que não cobram qualquer taxa.

Alguém nessas condições pode recorrer a usar dinheiro ou talvez comprar cartões de débito pré-pagos com taxas elevadas. Qualquer atividade de empréstimo seria como já conhecemos, onde os usuários geralmente pagam taxas de juros predatórias. Tais empréstimos, é claro, não são completamente pensados, mas geralmente são emprestados para cobrir despesas de emergência ou custos básicos de vida.

Sendo assim, os empréstimos, principalmente os juros, são oferecidos a pessoas de mais baixa renda. Aquelas que propositalmente não conseguem pagar tantos juros e acabam aumentando a sua dívida.

As linhas de crédito

Subindo um degrau na escala econômica, um titular de conta bancária com meios limitados a moderados pode obter acesso a linhas de crédito básicos.

Cobrando mais de 15% em quaisquer fundos emprestados, os esquemas de pagamento em cartões de crédito geralmente são projetados para incentivar os mutuários de baixa renda a fazer pagamentos mínimos que aumentam o valor máximo de juros durante o longo prazo.

As taxas de juros de multas cobradas a esses clientes por atrasos de pagamento geralmente atingem o valor legal máximo de 29,99%. Esses mesmos clientes costumam ser incentivados a aumentar seu limite de crédito e são atraídos por anúncios que associam o acesso ao crédito e sua dívida subsequente com a riqueza real.

Acrescente a isso o custo com cheque especial, multas por movimentar contas ou hipotecas, comissões sobre investimentos e taxas de inscrição para qualquer um dos diversos serviços, e é fácil ver como os bancos podem maximizar seus lucros, aproveitando as necessidades dos mais vulneráveis e, infelizmente, dos mais ineptos financeiramente.

Sem uma regulamentação significativa, os bancos têm demonstrado repetidamente estar dispostos a emprestar muito além da capacidade dos clientes.

Foi demonstrado que essas empresas costumam atrair clientes para dívidas incontroláveis, especialmente para carros e residências.

Soa consistente com o ditado de “compre agora, pague depois” que é tão predominante na cultura moderna. Isso resultou em uma economia que aceita níveis extremos de dívida nacional e pessoal, oscilando à beira do colapso, à medida que tenta resistir por décadas com pouca esperança de fuga.

Infelizmente, porém, essa é apenas a ponta do iceberg quando se trata de como os bancos realmente geram receitas massivas. 

Veja também: Por que precisamos do Bitcoin? O “fim do poder” do Dólar

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.