Binance pode ter sido hackeada novamente

1 Comente

A não muito tempo atrás, a Binance foi hackeada e teve 7.000 bitcoins roubados. Agora, um outro hacker diz ter invadido a Binance mais uma vez e afirma que está com os dados de milhares de clientes, incluindo as fotos de identificação de KYC.

O suposto hacker, que se autodenomina “Guardian M”, está ameaçando vazar todos esses dados caso a Binance não pague um resgate de 300 Bitcoins (cerca de R$14 milhões na cotação atual).

A ameaça foi realizada através de um grupo do Telegram. Para provar que ele realmente possui os dados, Guardian M disponibilizou mais de 1000 fotos de supostos usuários da Binance no grupo.

O CoinDesk disse ter conseguido identificar alguns usuários nas fotos e entraram em contato com essas pessoas. O site afirma que duas pessoas identificadas confirmaram a veracidade dos dados.

As fotos contam com o rosto do cliente, carteira de identidade e um papel escrito “Binance, 02/24/19”, a data de quando as fotos foram enviadas.

Os identificados disseram que as fotos foram realmente enviadas para a Binance como um dos procedimentos de KYC (Know Your Customer) no dia 24 de fevereiro de 2018.

Um dos dois indivíduos identificados pelo CoinDesk, que pediu para ser mantido como anônimo, mostrou ao site o histórico de login da Binance desde janeiro de 2018.

Pelo histórico enviado por e-mail, é possível identificar que ele logou na exchange no dia 24 de fevereiro, por volta das 2h.

Para confirmar ainda mais as suspeitas de uma invasão ao banco de dados da Binance, essa mesma pessoa mostrou a foto que ele enviou ao serviço de KYC da Binance, ainda salva em seu celular. A foto é exatamente igual a que está circulando no Telegram, diz o CoinDesk.

Além das 1000 fotos que foram disponibilizadas pelo hacker, Guardian M diz que tem mais 60 mil e que ainda quer um resgate de 300 BTC da Binance.

A resposta da Binance

Assim que a Binance ficou sabendo da suposta invasão, ela lançou uma resposta oficial no dia 06 de agosto.

Segundo as informações passadas pela corretora, as fotos supostamente roubadas têm inconsistências com o banco de dados da Binance e por isso não há como confirmar a veracidade das alegações.

“Em primeiro lugar, há inconsistências ao comparar esses dados com os dados em nosso sistema. No presente momento, nenhuma evidência foi fornecida indicando que quaisquer das imagens de KYC foram obtidas da Binance, uma vez que estas imagens não contêm a marca d’água digital impressa pelo nosso sistema.

Com isso em mente, nossa equipe de segurança está trabalhando na busca de todas as possíveis pistas, na tentativa de identificar a origem dessas imagens.”

A Binance também disse que está consultando uma empresa terceirizada para buscar mais informações

“Em uma revisão inicial das imagens que foram publicadas, todas parecem estar datadas de fevereiro de 2018, quando a Binance contratou um fornecedor terceirizado para a verificação de KYC, a fim de lidar com o grande volume de solicitações naquele momento. Atualmente, estamos investigando com o fornecedor terceirizado para mais informações.”

Veja também: Cosmos será uma dor de cabeça para o Ethereum?

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Escreva um comentário

1 Comentário

Por isso que eu morro de medo desse negócio de mandar foto da gente e de documento pessoal pras exchanges…

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.