Bancos oferecendo suporte a criptomoedas? Prepare-se para uma nova realidade

0 Comentários

O maior banco on-line da Noruega, o Skandiabanken anunciou recentemente que planeja oferecer aos clientes a capacidade de vincular contas bancárias a participações em . Clique aqui e veja a notícia

Enquanto alguns podem ver esta noticia apenas como mais um banco aderindo a tecnologia , na verdade não percebe a grandiosidade do momento, a noticia anuncia uma nova revolução, graças a evolução das criptomoedas.

O Skandiabanken anunciou esta semana que irá permitir que os usuários com conta bancária possam adicionar uma conta Coinbase, permitindo aos usuários visualizarem seus saldos em criptomoedas no aplicativo bancário.

O aplicativo permite que os usuários visualizem suas participações, assim como outros investimentos e, por enquanto, a funcionalidade não inclui a capacidade de comprar e vender criptomoedas. O banco sublinhou que ainda não vê o bitcoin como uma moeda, mas sim como uma outra classe de ativos.

Leia também  2018 será o ano das Altcoins? Bitcoin perdeu 53% de dominância do mercado em 2017

Este é provavelmente o início de uma tendência que vai fundir o bitcoin ao sistema financeiro tradicional, oferecendo aos clientes inovações.

A proliferação de serviços de fintech que “desagregam” as funções bancárias tradicionais, combinada com o amadurecimento da internet, está acelerando essa tendência.

Além disso, a Directiva Europeia de Serviços de Pagamentos Revisados ​​(PSD2) será ativada em 2018. A diretiva obriga os a partilharem dados de clientes com terceiros através de APIs, o que poderia incluir o acesso a serviços de criptomoedas.

Assim, a combinação de serviços bancários on-line, serviços fintech e APIs abertas apontam para uma fusão de fronteiras entre as finanças tradicionais e alternativas.

Novas instituições bancárias, como o Skandiabanken, estão tomando medidas para aceitar o bitcoin e as como ativos credíveis. Se esta tendência continuar, as criptomoedas podem acabar se tornando uma característica mais firmemente consolidada no cenário de novas Fintechs.

Leia também  Ministro da França diz que Bitcoin deveria ser discutido em reunião do G20

Isso vai colocar ainda mais pressão sobre os legisladores afim de elaborar planos abrangentes para a regulamentação de uma nova classe de ativos.

Também é provável que incentive o desenvolvimento da próxima geração de serviços relacionados à criptomoedas.

E embora isso não signifique que o bitcoin e as altcoins se tornem super populares, isso pelo menos mostra que a tecnologia “disruptiva” está chegando ao mercado financeiro, e pode começar a mudar todo um sistema que esteve estagnado por décadas, e que as criptomoedas está aqui para ficar no grande ecossistema das Fintech.