Banco do Kuwait adota solução da Ripple para pagamentos transfronteiriços instantâneos

0 Comentários

A Finance House (KFH) tornou-se o primeiro banco da nação árabe a se associar à , uma rede blockchain empresarial da gigante da indústria Ripple, por internacionais de remessas.

Em um anúncio, o banco do Kuwait confirmou sua decisão de se juntar à RippleNet, uma rede global de blockchain que vê mais de 100 instituições financeiras, incluindo , provedores de pagamento, operadores de remessas e outras instituições financeiras usando o produto para compensação em tempo real e liquidação de transações internacionais.

A KFH, que também é o primeiro banco islâmico do Kuwait, sublinhou a sua intenção de usar a “ferramenta única” da para pagamentos transfronteiriços para os seus clientes de retalho, afirmando:

“Com isso, a KFH pode fornecer transferências de transfronteiriças instantâneas e seguras em segundos, com visibilidade de ponta a ponta durante a jornada do pagamento.”

Os detalhes da oferta são escassos no momento e ainda é possível verificar se o banco usa da Ripple, um software blockchain corporativo que permite acordos em fiat ou , um produto que usa o token da Ripple para obter liquidez em tempo real para transações internacionais.

Leia também  Força-tarefa do Federal Reserve: Ripple melhora velocidade e transparência de pagamentos globais

Embora o banco diga que exigirá a aprovação do Banco Central do Kuwait (CBK) antes do lançamento do serviço ativado pela Ripple, a KFH insiste que os clientes se beneficiarão de pagamentos mais rápidos em maior eficiência, segurança e transparência da transação, a um custo nitidamente inferior. custos que as soluções tradicionais de remessa.

Em outros lugares da região, o RAK Bank, também conhecido como Banco Nacional de Ras Al-Khaimah, um emirado dos Emirados Árabes Unidos, tornou-se um membro da RippleNet em setembro para permitir “serviços de instantâneos, sem atrito e seguros” para contas no Axis Bank da Índia, também membro da RippleNet. Em fevereiro, uma das maiores empresas de e forex do Oriente Médio, a UAE Exchange, também se uniu à rede de blockchain desenvolvida pela Ripple, sediada em São Francisco, nos .

Leia também  Câmara discute extinção do dinheiro em espécie

A Autoridade Monetária da Arábia Saudita (SAMA), o banco central de fato da Arábia Saudita, também fez uma parceria com a Ripple para pilotar o xCurrent da Ripple entre vários bancos regionais. A SAMA também se tornou o primeiro banco central do mundo a ingressar na RippleNet.