Banco Central das Filipinas emite diretrizes para exchanges de moedas virtuais

O BSP (Banco Central das Filipinas) divulgou diretrizes oficiais para a regulamentação das exchanges de câmbio virtuais. As declarações enfatizam os potenciais benefícios das remessas internacionais, as ameaças colocadas pelo lavagem de dinheiro e o desejo do governo filipino de promover o desenvolvimento em negócios bitcoins.

A política do Banco Central fornecerá um ambiente que incentive a inovação financeira

Após 12 meses de deliberações, o banco central das Filipinas,  anunciou suas diretrizes para exchanges de câmbio virtuais.

A declaração de política das diretrizes abre ao anunciar é que “a política do Banco Central fornece um ambiente que encoraje a inovação financeira e, ao mesmo tempo, garantir que as Filipinas não sejam usadas para lavagem de dinheiro (ML) ou financiamento do terrorismo (TF) e que o sistema financeiro e os consumidores financeiros estejam adequadamente protegidos”, fazendo eco de declarações familiares a outros governos que estão propondo regulamentos para o Bitcoin e as criptomoedas. As diretrizes enfatizam continuamente que as Filipinas se sentem vulneráveis ​​como um mercado financeiro pouco regulamentado.

Leia também  Bitcoin no Brasil está custando $2.969 dólares. Preço extremamente "Gourmet" ou alta demanda?

O documento anuncia reconhecimento por parte do BSP de que “os sistemas de moedas virtuais (VC) têm o potencial de revolucionar a entrega de serviços financeiros, particularmente para pagamentos e remessas, tendo em vista sua capacidade de fornecer transferência de fundos mais rápida e econômica, ambos Nacional ou Internacional, e pode ainda apoiar a inclusão financeira”.

O BSP pretende regulamentar VCs quando utilizados para a entrega de serviços financeiros

O setor filipino de remessas é o terceiro maior do mundo, atrás da China e da Índia. Apesar de terem valido US$ 30 bilhões por ano, o setor filipino de remessas tem crescido de forma constante nos últimos anos. Com muitas empresas de remessas baseadas em Bitcoin que oferecem economias de vários por centos em comparação com os serviços de remessa convencionais, o capital extra que pode ser injetado na economia filipina através da adoção generalizada de remessas baseadas em bitcoin é claramente algo que a BSP não deseja prejudicar.

Em última análise, as diretrizes são positivas. O BSP não interferirá nas exchanges de câmbio virtuais, a menos que se cultive o lavagem de dinheiro ou o financiamento do terrorismo. Fora disso, não há sentimento hostil em relação a qualquer elemento da economia bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *