Banco Central da China exige verificações extremas de clientes de bolsas de Bitcoin

Uma importante bolsa chinesa de , a Huobi, teria enviado uma carta aos seus clientes para informá-los de mais um novo conjunto de novas exigências anti-lavagem de (AML). Os clientes são agora obrigados a fornecer detalhes explícitos e provas das fontes de seus fundos, destinos de bitcoins ou outras  retiradas, bem como seus objetivos para retirada.

Novos requisitos de AML

Em sua carta, a cita as regulamentações de ALD impostas por reguladores chineses, incluindo o Popular da China (PBOC) e a Comissão Regulatório de Bancos da China. Os clientes da Huobi e potencialmente de todas as bolsas de Bitcoin Chinesas devem agora fornecer:

  1. Informações da conta utilizadas para efetuar o login na central.
  2. Explicações e provas das fontes dos seus depósitos.
  3. Destinos e evidências dos bitcoins ou outras criptomoedas retiradas.
  4. Explicação das finalidades das suas retiradas.

Em um movimento sem precedentes contra a privacidade, todos os documentos e as provas apresentadas serão enviados aos Arquivos Nacionais, a carta informa os clientes, acrescentando que eles precisarão certificar que todas as informações e provas fornecidas são autênticas.

Leia também  Poloniex será banida em New Hampshire, nos EUA, contradizendo proposta libertária do Estado

Obrigatório enviar comprovante de fontes de financiamento

Como prova de seus fundos, a Huobi está pedindo a seus clientes uma lista detalhada de transações históricas da conta bancária do cliente usada para depositar fundos na bolsa. Os requisitos onerosos incluem:

  1. A transferência bancária registra na conta da bolsa.
  2. Explicações escritas das fontes dos fundos transferidos.
  3. Capturas de tela e outras provas relevantes que podem fazer backup das explicações dadas acima.

A carta sugere fornecer um registro histórico de itens correspondentes ao montante do depósito, como salário mensal, dinheiro retirado de outras plataformas ou dinheiro emprestado de amigos. Para os fundos emprestados, documentos IOU teriam de ser anexados como prova. Screenshots através do Wechat são evidências aceitáveis também.

Obrigatório informar propósito para justificar retiradas

Os destinos de todos as criptomoedas retiradas também estarão sob o centro das atenções. Os clientes precisam declarar onde as moedas serão enviadas, seja para uma carteira pessoal ou para outra plataforma. Por exemplo, são necessárias evidências de tela das páginas de depósito de outras plataformas mostrando nomes e endereços dos clientes correspondentes. Os fins para retirada, tais como usá-los para investimento financeiro ou arbitragem, também devem ser declarados.

Leia também  Primeiro caixa eletrônico para negociações em Bitcoin chega ao Brasil

A  advertiu então seus clientes que os valores usados ​​participar na captação ilegal de fundos não serão protegidos pela lei e os clientes carregarão os riscos e as responsabilidades por si. Também é ilegal participar de lavagem de dinheiro e esquemas de pirâmide, diz a carta. Os clientes também foram informados de que seriam responsabilizados por participar em tais atividades.

Movendo o P2P

O movimento é o mais recente de uma longa série de novas regulamentações impostas pelo PBOC este ano para as exchanges de bitcoin. Em meados de fevereiro, o Banco aplicou várias novas regras, incluindo o fim da negociação bitcoin taxa-zero no país. Isso resultou em um grande número de clientes que deixaram essas bolsas para comprar seus bitcoins em mercados alternativos como o Localbitcoins.com.

No início deste mês, o PBOC listou um longo conjunto de regras para os intercâmbios chineses de bitcoin seguirem, e mais orientações têm sido enviadas desde etnão. Zhou Xuedong, um diretor do PBOC, cujo departamento realizou as inspeções das bolsas de bitcoin chinesas, no início deste ano, disse que o banco se concentraria nas regulamentações AML dos clientes das bolsas. Na semana passada, as exchanges de bitcoin acrescentaram um requisito de verificação de identidade no local, incluindo uma visita pessoalmente, para depositar ou retirar a partir de 50.000 yuan ou mais.

Leia também  Documentos imutáveis: Microsoft Office agora é integrado a Blockchain do Bitcoin e Ethereum
Qual a sua opinião sobre essas novas regras impostas pelo Chinês?

Seu comentário é importante para nós!

Via: News Bitcoin
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin


Siga nosso canal no Telegram e receba notícias em primeira mão: telegram.me/guiadobitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *