Banco Central da China se prepara para reprimir negociação de criptomoedas

0 Comentários

tanque apontando canhão para uma moeda bitcoin

As autoridades chinesas mais uma vez estão preparando um ataque contra as moedas digitais quando. Nesta sexta-feira a sede do Banco Popular da China (PBoC) em Xangai revelou suas intenções de reprimir o comércio de criptomoedas.

Tal anúncio de repressão as negociações de criptomoedas se dá após as declarações do presidente chinês Xi Jinping endossando a blockchain e pedindo às empresas que a implatassem em suas operações.

O banco central em seu anúncio destacou que a tecnologia blockchain e as criptomoedas não são as mesmas e alertou contra os riscos envolvidos nas transações envolvendo criptomoedas.

Clique aqui para ler>> Como comprar Bitcoin no Brasil

“Existem vários riscos no financiamento e na negociação de emissão de moeda virtual, incluindo risco de falsos ativos, risco de falência das empresas, risco de especulação de investimentos, etc. Os investidores devem buscar constante conhecimento e conscientização sobre prevenção de riscos e tomar cuidado para não serem enganados”, afirmou o orgão regulador.

O PBoC “adotará medidas de monitoramento como entrevistas, inspeções e proibições às entidades monitoradas” para conter as ameaças de atividades crescentes com ativos digitais.

Um passado proibido

Enquanto isso, apareceram hoje relatórios do tratado de Schengen identificando 39 empresas ilegais que negociam com criptomoedas, na região. Suspeita-se que essas empresas estejam operando Ponzi e esquemas fraudulentos.

O impacto do posicionamento chinês contra as criptomoedas pode ser claramente visto no mercado, pois o preço do Bitcoin caiu mais de 10% nas últimas 24 horas, ficando abaixo dos US $ 7.160.

Ontem, várias agências de notícias relataram que os escritórios de Xangai da Binance e Bithumb foram invadidos pela polícia, o que resultou no seu fechamento. No entanto, ambas as bolsas refutaram as reivindicações.

Notícias boas

Enquanto as criptomoedas enfrentam uma repressão na China, nesta quinta-feira, 21 de novembro, a Intercontinental Exchange, Inc (ICE), revelou que a Bakkt está se preparando para lançar os seus contratos futuros de Bitcoin para o mercado de Singapura, um grande mercado de criptomoedas.

Porém, um detalhe está chamando a atenção da comunidade. Os contratos que a Bakkt está para lançar serão liquidados em moedas fiduciárias.

Como você deve saber, a Bakkt fez bastante barulho por ser a primeira plataforma a oferecer contratos futuros liquidados em Bitcoin, também chamado de contratos futuros liquidados fisicamente, o que, para muitos, trouxe algum tipo de legitimidade para as criptomoedas, blockchain e muito mais.

No entanto, oferecer contratos futuros de Bitcoin liquidados em USD, para alguns é considerado como um retrocesso. Claro, a notícia desagradou alguns membros da comunidade, principalmente aqueles mais idealistas.

“Os contratos futuros de Bitcoin liquidados mensalmente em dinheiro da Bakkt serão liquidados com base nos dados do contrato mensal de futuros entregues fisicamente da Bakkt Bitcoin (USD), o primeiro mercado futuro totalmente regulamentado para ativos digitais”, diz um comunicado de imprensa da empresa.

A plataforma será listada através do ICE Futures Singapore e serão liquidados pelo ICE Clear Singapore, que é regulado pela Autoridade Monetária de Singapura.

Veja também: Ubisoft anuncia parceria com plataforma de blockchain

Mantenha-se informado todos os dias sobre Bitcoin! Se inscreva em nossas redes sociais:

Investir é especulativo. Ao investir seu capital está em risco. Este site não se destina a uso em jurisdições em que a negociação ou os investimentos descritos são proibidos e só devem ser usados por essas pessoas e de maneiras que sejam legalmente permitidas. Seu investimento pode não se qualificar para a proteção do investidor em seu país ou estado de residência, portanto, conduza sua própria devida diligência. Este site é gratuito para você usar, mas podemos receber comissões das empresas que apresentamos neste site. Clique aqui para obter mais informações.