Agência Reguladora alemã bloqueia fundos de empresa ligada a Onecoin

Imagem: reprodução

O infame programa de Marketing Multi Nível intitulado “Criptomoeda” Onecoin, está sob investigação mais uma vez. Em 10 de abril, a Autoridade Federal de Supervisão Financeira alemã, conhecida como “Bafin”, congelou os valores interligados a um processador de pagamentos da Onecoin.

Uma empresa com sede na Alemanha chamada IMS International Marketing Services Gmbh está sob disputa para aceitar os fundos provenientes da organização Onecoin. Em um relatório recente, a agência reguladora alemã Bafin revela ter capturado fundos de mais de 29 milhões de euros da empresa IMS. A agência afirma que a IMS arrecadou um total de 360 ​​milhões de euros da empresa baseada em MMN Onecoin, há mais de um ano.

A Bafin diz que a Onecoin faz parte de uma vasta rede de agências de MMN vendendo unidades virtuais que a empresa declara como sendo uma criptomoeda. O regulador financeiro diz que o esquema Onecoin MMN é usado na Alemanha e em todo o mundo por muitas pessoas. No entanto a Bafin acusa a IMS de ser um “negócio de remessas de dinheiro não autorizado”, e a empresa está em violação da sentença 4 da Lei de Supervisão de Serviços de Pagamento alemã.

Leia também  O site The Pirate Bay está usando computadores dos usuários para minerar criptomoeda

“No seu decreto de 5 de abril de 2017, a BaFin ordenou à IMS International Marketing Services GmbH que cessasse imediatamente o negócio de remessas de dinheiro não autorizadas com os investidores da Onecoin.”

No caso de a IMS não respeitar a ordem de cessação da atividade, a Bafin ameaçou impor uma multa de 1,5 milhões de euros; Por descumprimento da ordem.

A Onecoin e suas empresas associadas já foram investigadas na Alemanha anteriormente. A Bafin começou a investigar a Onecoin em junho de 2016 devido a investimentos solicitados através do banco alemão Commerzbank AG. O banco é a segunda maior instituição financeira na Alemanha e pode ter aceito fundos não autorizados da organização MMN no passado. Além disso, o suposto esquema Ponzi que envolve a Onecoin tem sido mal visto pelas autoridades governamentais na Bélgica, Nigéria, na Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA) e muitos outros países.

Leia também  DJ Khaled: mais uma celebridade promovendo uma ICO

A Bafin diz que eles não têm o poder de decidir se os tokens onecoin são válidos ou não no âmbito do direito civil. No entanto, as operações serão investigadas, diz a agência reguladora e “ordens podem ainda estar sujeitas a revisão judicial.” Embora não possam definir legalmente as práticas de negócios da Onecoin no momento, a Bafin pode desligar remessas não autorizadas.

“Em nome da Onecoin Ltd, IMS International Marketing Services tem investidores que tinham oferecido para comprar “Onecoins” e transferir as vendas para várias contas detidas pela IMS International Marketing Services com diferentes bancos na Alemanha e enviar o dinheiro em nome da Onecoin para terceiros, fora da Alemanha. Este tipo de serviço financeiro é classificado como remessa de dinheiro de negócio”, detalhou a Bafin no relatório.

Leia também  Funcionário público de Nova York é punido por "minerar Bitcoin no trabalho"

Fonte: news.bitcoin.com
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Confira: Após uma ICO de sucesso a Tezos planeja lançar fundo de investimento

Tezos, a startup cuja recente ICO arrecadou US$ 109 milhões em menos de 15 horas e um total de US$ 232 milhões em apenas três dias, anunciou seu plano de…

0 Comentários

Roubo na Islândia: 600 super computadores roubados

Cerca de 600 computadores preparados para “minerar” bitcoin e outras moedas virtuais foram roubadas na Islândia, no que a polícia diz ser a maior série de roubos no país “ilha”…

0 Comentários