A WikiLeaks já arrecadou mais de 4.000 bitcoins desde 2011 e impulsionou criptomoeda

A organização internacional WikiLeaks, publicou meios de comunicação classificados e vazamentos de notícias desde que foi fundada em 2006. Em 2011 – devido a um bloqueio de pagamento de serviços financeiros tradicionais – a organização sem fins lucrativos começou a aceitar . Desde então, o grupo acumulou uma enorme quantia ($2,9 milhões) em doações de bitcoin (à taxa de câmbio de hoje).

wikileaks-bitcoin
Imagem:

WikiLeaks levantou 4.000 BTC em doações

A WikiLeaks esteve nas manchetes este ano passado, já que lançou milhares de documentos relacionados com a eleição presidencial dos de 2016. A agência perde informações classificadas que geralmente mostram corrupção de entidades corporativas e governos. O site foi criado pelo australiano, cyberpunk e ativista, Julian Assange. Ele tem uma quantidade substancial de dados registrados sobre a Guerra do Afeganistão, a Guerra do Iraque, Baía de Guantanamo, e dos governos em todo o , inclusive do Brasil, e um tesouro de documentos implicantes.

Leia também  Ataque DDoS atinge exchange Kraken, causando prejuízos aos traders

Em 2011 o Bank of America, a Visa, o e o Paypal deixaram de permitir doações ao WikiLeaks através de seus serviços. A notícia chocou o mundo, e muitos se perguntavam como a organização manteria as operações em andamento. Felizmente o bitcoin veio resgatar o WikiLeaks, conforme anunciado no Twitter em 14 de junho de 2011, a aceitação de . Desde essa época, a organização sem fins lucrativos coletou mais de 4.000 bitcoin através de sua carteira de doação.

twitter-wikileaks-donate-bitcoin
Imagem: Twitter

A WikiLeaks impulsionou o Bitcoin

Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

Muitos entusiastas de criptomoedas atribuem que a WikiLeaks adicionando doações em bitcoin, teria causado o efeito de aumentar o valor da moeda durante os anos de 2011-2012. No entanto, como Julian Assange detalhou em setembro de 2014, as criptomoedas ajudaram aWikiLeaks também.

A discussão tocou temas como política e o Google, mas o assunto da conversa, em seguida, foi o Bitcoin. No entanto, parece que devido a alguma controvérsia, a WikiLeaks esperou até 14 de junho de 2011 para usar bitcoin contra o bloqueio bancário. Assange afirmou que a cadeia de bloqueio da criptografia era uma experiência radical.

“O Bitcoin é uma inovação extremamente importante, mas não da maneira como a maioria das pessoas pensa. A verdadeira inovação da Bitcoin é uma prova globalmente verificável de publicação em um determinado momento. Todo o sistema é construído sobre esse conceito e muitos outros sistemas também podem ser construídos sobre ele. A cadeia de bloqueios preenche a história, quebrando o ditado de Orwell: “Quem controla o presente controla o passado e quem controla o passado controla o futuro”.

As criptomoedas são uma ótima ferramenta para ajudar a WikiLeaks e outras organizações ameaçadas por sanções bancárias. Não há nenhuma entidade governamental ou corporativa como Visa e PayPal que possa “desligar o Bitcoin”. A rede da continuou a funcionar de forma “sem-parar”, 24 horas por dia, 7 dias por semana, por diversos anos.

Leia também  UBER da Argentina agora aceita Bitcoin e luta pela continuação do serviço

O Bitcoin oferece uma alternativa resistente à censura, em relação aos métodos de pagamento tradicionais. Ao longo dos anos as criptomoedas ajudaram a financiar a WikiLeaks e muitos outros indivíduos e grupos que enfrentaram turbulências geopolíticas.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *