A empresa de navegação japonesa Mitsui OSK Lines e parceiros usam a Blockchain para simplificar os fluxos de comércio internacional

0 Comentários

De acordo com uma declaração da empresa, o “teste de demonstração” terá transações comerciais em tempo real feitas usando um  que utiliza a .

O projeto terá acordos de comércio, logística e documentação de seguros, digitalizados, armazenados e compartilhados entre os envolvidos, trazendo uma série de benefícios sobre os sistemas tradicional de comércio.

A empresa afirma:

“O teste destina-se a verificar a eficácia da blockchain, afim de aumentar a segurança e reduzir o tempo necessário para liquidar transações transfronteiriças, erros entre documentos relacionados e custos administrativos”.

Com o objetivo de aumentar a competitividade e desenvolver novos produtos através da tecnologia, junto com a MOL no projeto estão a IBM Japan, o Japan Research Institute, o Sumitomo Mitsui Financial Group (SMFG), a Sumitomo Mitsui Banking Corporation e outras do Grupo Mitsui.

Leia também  Evitar a desintermediação bancária e preservar os papéis fundamentais do Banco Central do Brasil

O SMFG revelou recentemente estar entre um grupo de instituições financeiras japonesas que testaram com sucesso um protótipo usando a tecnologia de contabilidade distribuída (DLT) para agilizar os acordos internacionais. Para isso foi usado o software Corda do consórcio de inicialização da DLT R3 para simplificar uma negociação do ISDA Master Agreement.

Em setembro, foi anunciada uma joint venture entre a gigante marítima Maersk, a Microsoft e a empresa de contabilidade EY, com o objetivo de aplicar a tecnologia blockchain no campo do seguro marítimo. Construído usando a Microsoft Azure, o projeto visa criar um banco de dados compartilhado que registra informações sobre os envios, bem como os potenciais riscos, para ajudar as empresas a cumprir os regulamentos.