A criptografia do Bitcoin é mais antiga do que se imagina e é uma das mais valiosas tecnologias existentes

Imagem: reprodução

Quando as pessoas debatem o valor do ouro e bitcoin algumas vezes citam que o ouro tem sido valioso para os seres humanos por milênios. No entanto, as pessoas não conseguem perceber que a espinha dorsal da de bitcoin tem sido valorizada por milhares de anos também.

Criptografia tem sido valiosa para os seres humanos por milhares de anos

Uma das propriedades que torna bitcoin valioso é o uso de métodos criptográficos de criptografia forte. A Criptografia é uma ciência muito útil e que remonta ao período egípcio de 1900 a.C. Arqueólogos descobriram que os egípcios usaram um método de ocultar informações usando cyphertext esculpido em uma pedra.

Nos tempos antigos, a criptografia era bastante usada nas guerras travadas por muitos dos exércitos e grupos militantes do mundo. A ciência foi usada nos tempos clássicos gregos e durante o Império Romano também. Uma das formas mais famosas de ocultar informações usando criptografia foi a cifra de César que substituiu as letras por números que estavam amarrados a uma versão reorganizada do alfabeto. A arte da criptografia tem sido um pedaço valioso de conhecimento que é tão antigo quanto o valor de metais preciosos como o ouro.

Cipher Wheel de Thomas Jefferson estava à frente de seu tempo.

O uso da criptografia também foi usado durante muitos períodos revolucionários na história humana. Durante a Revolução Americana, líderes como Thomas Jefferson, Benjamin Franklin e outros usaram cifras regularmente. Na década de 1790, Jefferson construiu uma ferramenta chamada “cifra de roda”, que usava rodas de madeira rotativas com um alfabeto marcado. Dispositivos como este foram usados por militares em todo o mundo levando à Primeira Guerra Mundial como Enigma cifra máquinas tornou-se famoso durante o início dos anos 30 e 40.

Leia também  A partir de 2017, bancos brasileiros não aceitarão mais boleto sem registro
Máquina da Enigma da Primeira Guerra Mundial

O uso da criptografia também foi usado durante muitos períodos revolucionários na história humana. Durante a Revolução Americana, líderes como Thomas Jefferson, Benjamin Franklin e outros usaram cifras regularmente. Na década de 1790, Jefferson construiu uma ferramenta chamada “cifra de roda”, que usava rodas de madeira rotativas com um alfabeto marcado. Dispositivos como este foram usados por militares em todo o mundo levando à Primeira Guerra Mundial uma máquina de Enigma que se tornou famosa durante o início dos anos 30 e 40.

Criptografia e a era do computador

Colossus, foi o primeiro computador totalmente eletrônico, digital e programável do mundo.

A era do computador que usou a aprendizagem de máquina revolucionou o jogo inteiro da criptografia. Na Segunda Guerra Mundial as mensagens criptográficas foram usadas pesadamente por ambos os lados da batalha e estimularam a criação de Colossus, o primeiro computador programável do mundo que craque cifras.

Nos anos setenta, o surgimento da pesquisa de código aberto levou à criação do esquema de chaves públicas e privadas de Whitfield Diffie e Martin Hellman, bem como ao algoritmo RSA. As descobertas durante esta década são vitais para Bitcoin, pois a rede usa criptografia simétrica de Diffie e Hellman, bem como , curva elíptica (ECDSA) e RIPEMD 160 esquemas criptográficos. O desenvolvedor do Open Bazaar Chris Pacia descreve o aspecto de criptografia de bitcoin muito bem em sua série “Bitcoin Explained Like You Are Five”;

Leia também  Serviço de streaming de games, Twitch, passa a aceitar Bitcoin como forma de pagamento

Em linguagem geek, um endereço Bitcoin é tecnicamente um base58 codificado em um hash RIPEMD160 de um hash SHA-256 de 256 bits de chave pública de um par de chaves em Elliptic Curve Digital com uma assinatura de algoritmo concatenado com uma soma de verificação. Entendeu?

A criptografia computacional tem aumentado ampliado o  para os civis já que a criptografia não é apenas usada exclusivamente pelos militares nos dias de hoje. Depois que Diffie e Hellman introduziram uma nova forma de criptografia para o mundo, dois livros publicados se tornaram muito populares entre as massas – “a Cifra de Bloco” e “O Padrão de Criptografia de Dados dos EUA”.

No final dos anos oitenta, essas idéias e os valores da criptografia de reforço da privacidade se fundiram em movimento de ativistas chamados cypherpunks. Durante este tempo, os cypherpunks leram os documentos do criptógrafo David Chaum, negociaram idéias através da lista de discussão (mailing list) Cypherpunks e ouviram-se de visionários como John Gilmore, Timothy C. May e Eric Hughes.

Hoje em dia milhões de pessoas comuns colocam muito valor na arte da tecnologia criptográfica com aplicativos de mensagens como Signal, e-mail com chaves PGP e troca de valor monetário com criptografia. As ideias de tecnologias que reforçam a privacidade, como assinaturas digitais, e sistemas de mensagens apoiados por criptografia, que já foram criadas pelos cypherpunks durante a “madrugada” da Internet, vieram a bom termo.

Leia também  Potcoin: a moeda que tá "fazendo a cabeça" de muita gente

Bitcoin é o exemplo principal de inovação criptográfica

Nos dias atuais, as pessoas tem o valor de criptografia para uso em suas vidas cotidianas, e o bitcoin é um grande exemplo deste fato. Pedras preciosas como o Ouro podem ter mantido valor por milhares de anos, mas a criptografia tem sido avaliada por tanto tempo.

Além disso, a pesquisa criptográfica tem progredido, levando a formas mais fortes de comunicações privadas e a capacidade de compartilhar riqueza em uma maneira resistente à censura com o bitcoin. E com o passar do tempo, as técnicas de criptografia ficam cada vez melhores, enquanto o ouro nunca muda.

A criptografia é uma realização humana notável e deu vida a muitas das tecnologias de hoje; O Bitcoin é um excelente exemplo desses feitos.

Para quem quer ler mais sobre o assunto, sugerimos este post (inglês), intitulado “A história secreta da Criptografia


Acompanhe nossas redes sociais:

Facebook
Twitter
Telegram
Linkedin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *