Tokens Utilitários Assumem o Estágio Central no Mercado de Criptografia com a MediChain Liderando o Caminho

Contra a contínua volatilidade no mercado de criptomoedas impulsionada em parte pelas incertezas do mercado e pela compra especulativa de tokens de segurança tradicionais como o Bitcoin, mais atenção está sendo dada aos chamados tokens de utilidade, como os da MediChain Plataforma Médica de Data. Assim como os recursos de token padrão, de escassez, e capitalização de mercado, os tokens de utilidade têm outro mérito intrínseco: eles estão vinculados a um serviço útil e sob demanda. O acesso ao serviço depende do uso dos tokens de utilitário em uma plataforma baseada em blockchain.

Através de sua plataforma, a MediChain planeja renovar os registros eletrônicos de saúde (EHR) e os registros médicos eletrônicos (EMR). No processo, os pacientes poderão assumir o controle de seus próprios dados, ajudar os médicos a melhorar a qualidade do serviço e reduzir os erros, aumentar a segurança dos dados de EHR e EMR e facilitar a descoberta de curas para doenças. Além do fator social, a plataforma provavelmente acionará fluxos significativos de receita. De acordo com uma pesquisa recente realizada em sete países, encomendada pela consultoria Accenture como parte de sua Pesquisa do Consumidor de Saúde Digital 2018, os consumidores estão cada vez mais dispostos a compartilhar dados pessoais com profissionais de saúde e até mesmo seguradoras, e também aberto ao uso de dispositivos pessoais que permitem para monitorar sua saúde.

Leia também  Pally: Mais uma ICO pra ficar atento

Graças à criação de uma nuvem compatível com o blockchain do MediChain, os pacientes podem salvar seus dados médicos e decidir o que compartilhar com os prestadores de serviços de saúde e os médicos pessoais, local e globalmente. Além disso, os registros são anonimizados na plataforma, com os principais dados mantidos fora da cadeia. Esses registros constituirão um grande volume de informações interessantes para diversos participantes, como explica o CEO da MediChain, Dr. Mark Baker: “Sabemos que nossos grandes dados exclusivos são atraentes para empresas farmacêuticas, por exemplo, quando pesquisam ou testam novos medicamentos. Naturalmente, as seguradoras estão ansiosas para entender as tendências médicas daqui para frente. E há um mercado florescente para aplicativos de saúde móveis. Por isso, também estamos direcionando desenvolvedores de software e fabricantes de vários dispositivos e dispositivos de assistência médica. ”

Leia também  IQeon esta 'Bombando!': ICO Começa dia 30 de Janeiro

O acesso à plataforma requer o uso de MediChain Utility Tokens (MCU), representando o valor dos blocos de dados arbitrários dos pacientes. Cada peça de dados médicos recebe um valor arbitrário nos MCUs equivalente ao preço de uma consulta ao paciente em dólares americanos. Os tokens estão atualmente à venda na ICO da empresa.

O Doutor Baker também revela mais boas notícias para potenciais detentores de tokens: “Além das receitas antecipadas, já firmamos parcerias com o Swisher Memorial Healthcare System no Texas e também atraímos o interesse de várias empresas e outras instituições, do provedor de soluções de tecnologia Cerner e do registro suíço SOS, para a agência de pesquisa científica da Austrália, CSIRO. ”

O MediChain ICO começou em 1º de março de 2018 e deve terminar em 30 de abril de 2018.

Os investidores que se cuidem: Banco Central de Singapura faz um aviso sobre a ICO

O Banco central de Cingapura emitiu um aviso para investidores sobre os riscos das ofertas iniciais de moedas (ICOs). Um novo aviso da Autoridade Monetária de Singapura (MAS) – publicado em conjunto…

3s Comentários

Lendário Empreendedor, Keith Teare, integra a equipe do Projeto Crypterium como Orientador

Crypterium ganhou o apoio de um aliado muito importante: Keith Teare, um experiente veterano do mundo digital de renome internacional, acaba de anunciar sua decisão de “emprestar” toda a sua…

0 Comentários