Restrições do Banco Central da Nigéria impulsionam o uso do Bitcoin no país

O Banco Central da Nigéria aprovou uma regra que deixa a maioria das operadores de transferência de dinheiro nigeriano, incapazes de fornecer serviços a esse país, tornando o uma ferramenta de remessas mais valiosa e indispensável, de acordo com o Daily Post Nigéria.

nigeria-bitcoin
Imagem: reprodução

Apenas três empresas – Ria, Money Gram e Western Union – podem continuar as operações de transferência de dinheiro. Nigerianos que utilizam estes serviços terão de pagar taxas elevadas para o envio de dinheiro internacionalmente. Desta forma, o bitcoin oferece uma solução, uma vez que permite às pessoas enviarem qualquer quantia, para qualquer lugar do mundo e a qualquer momento, a um custo insignificante, geralmente em menos de cinco minutos.

O envio de fiduciária através das fronteiras requer o envio de fundos a partir de um banco de origem através de um terceiro que fornece o serviço de transferência de dinheiro, tais como Ria, MoneyGram ou Western Union, que cobra taxas elevadíssimas e muitas vezes ocorrem falhas na entrega dos fundos ao receptor.

Leia também  [Trabalho remoto] Poloniex está contratando Trader experiente para equipe de suporte

A necessidade de remessas está crescendo porque as famílias têm cada vez mais membros que vivem em diferentes países, que muitas vezes têm uma necessidade urgente de dinheiro. Os pais podem enviar para os filhos que estudam fora do país, instantaneamente e com segurança.

Empresários na Nigéria frequentemente têm a necessidade de enviar fundos para parceiros de negócios em outros países. Com o bitcoin, já não precisam mais ter que esperar dias para receber os fundos ou gastar muito tempo de espera na fila de um banco ou de um caixa eletrônico, além de economizar no pagamento de taxas abusivas, por parte dos bancos e terceiros.

Bitcoin é uma saída para a Nigéria

A repressão do governo sobre serviços de transferência de dinheiro não é a única coisa que atrai ao uso do bitcoin na Nigéria.

Leia também  Ethereum entra na mira dos grandes bancos

O Banco Central da Nigéria também planejou proibir compras de crédito e débito no , este ano, para diminuir o fluxo de divisas para fora do país.

O banco central fixou a taxa de câmbio em fevereiro e bloqueou o acesso a moedas estrangeiras para certos tipos de importações em junho.

As restrições tornam mais difícil a realização de compras on-line em varejistas estrangeiros ou quando viajam para fora do país. Aqueles com maior probabilidade de notarem a mudança, são os nigerianos ricos, que compram itens de luxo no mercado internacional. Alguns bens de luxo já se tornaram escassos na Nigéria, como resultado da proibição do Banco Central sobre o uso de divisas para determinadas importações.

Câmbio e crise do Bitcoin

A crise cambial da Nigéria demonstra que o uso bitcoin pode resolver alguns dos problemas monetários envolvidos no comércio internacional. O Bitcoin torna-se uma alternativa promissora para o Naira (NGN, a moeda nigeriana), porque faz compras internacionais mais conveniente para os consumidores e ao mesmo tempo, alivia a pressão sobre as reservas cambiais da Nigéria.

Leia também  Banco Santander desiste do consórcio R3 Blockchain

Comprar bitcoin na Nigéria é mais fácil do que em alguns outros países da África graças a  de moedas eletrônicas Nairaex. A exchange Nairaex permite que um usuário possa trocar dinheiro por bitcoin e vender os seus a preços competitivos no mercado.

Via: CCN
Adaptação e Tradução: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

1 Comentário


  1. Ola me perdoa isso não é um comentario e sim uma pergunta
    eu gostaria de saber se na nigeria tem um banco chamado gtbank
    quero saber isso porque acho que fui enganada por um homem chamado Daniel omonigho slide ele se diz gerente desse banco e me fez enviar US $100 dolares a ele que agora que reave-lo mas não sei como.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *