Opinião: Porque o Ethereum Classic pode “morrer”

O drama clássico do atual Ethereum é mais um exemplo da grande ironia das – uma tecnologia inventada como uma maneira de formar o consenso, continua enfrentando sua maior ameaça da incapacidade das suas comunidades, para formá-la.

ethereum-classic-pode-morrer

Quando há uma bifurcação, é importante para a comunidade escolher sabiamente entre os dois ramos. Mas também é importante, muitas vezes mais importante, para a comunidade escolher e convergir para um dos ramos.

Em um caso como ethereum, que agora tem duas versões concorrentes, ethereum () e (ETC), não convergindo vai fazer mais mal do que a convergir para o ramo inferior.

Nós chegamos a um ponto onde não há apenas dois resultados realistas para o Ethereum: um projecto bifurcado, confundindo os usuários e , ou a convergência da chain do Ethereum.

ou não?

Durante o debate sobre o fork original, eu vi argumentos legítimos de ambos os lados, embora não houvessem argumentos decisivos. Eu não era um investidor do DAO, que me pareceu condenado desde o início, e não via necessidade de resgatar seus apoiadores. Concentrar 4,5% do total de Éter nas mãos do hacker não era o ideal, mas não ameaçou seriamente a também.

O argumento anti-fork mais comum é que mexer com a lei define um mau precedente. Isso é verdade. Mas o quão ruim pode ser? Estamos todos condenados a um futuro de hard forks a qualquer momento, o FBI pode pedir ou um dos administradores pode perder algumas moedas.

Leia também  Bitfinex vai dividir prejúizo com todos os clientes e reembolsá-los com tokens digitais e ações

Não importa quem saia ganhando, mas este fork foi confuso o suficiente para que ninguém estivesse interessado em migrar para o outro tão cedo.

Concordei com Cornell, o pesquisador Emin Gün Sirer, e outros, de que o ethereum era um tecnologia ainda muito jovem, na fase de testes gerais. Exemplo: mesmo se você quer um futuro de carros 100% autônomos, você tem que esperar o acionamento manual ocasional logo no início.

Muitos questionaram os incentivos financeiros dos membros da Fundação Ethereum, que tinham comprado DAO, mas como Alex Van de Sande escreveu, eles tiveram uma participação muito maior no sucesso da Ethereum do que em THE DAO. E enquanto isso, não foi surpreendentemente o fato de pouco se falar no fato de que o hacker teve uma participação de 60 milhões de dólares em relação ao Fork!

teria-vitalik-buterin-manipulado-o-ETC

Mesmo agora, a participação do hacker é de US$ 7 milhões na antiga chain, e $0 pela nova, bifurcada. Seria uma grande surpresa se ele ou ela não tenha manipulado o ETC nos bastidores.

Leia também  Afinal de contas, quem dá as cartas no mercado do Bitcoin?

Assim, você pode chegar a pensar no fato de que o criador do Ethereum, , forçou o fork ou que o ETC é só um golpe apoiado pelo hacker. Estou feliz de deixar essas conspirações para o pessoal do Reddit.

O fato é que há muitas pessoas inteligentes e sinceras em ambos os lados do debate sobre o fork, e que nenhum dos seus argumentos de qualquer forma foram esmagadores, até agora.

 

Hard forks são prejudiciais?

Há até mesmo uma sensação de que o fork de julho tenha um bom precedente.

Eu não acho que ninguém contesta que mais hard forks serão necessários, tanto em Ethereum quanto , então é melhor negociá-los agora, enquanto os riscos são baixos.

E para aqueles que dizem: “São para melhorias técnicas, para nunca mais acontecer um hack‘, eu questiono sua imaginação.

E se o DAO tinha atraído não 15%, mas 60% de todo o Éter e o hacker não havia drenado um terceiro, mas tudo isso? E se algum malware se espalhou amplamente entre carteiras ou mineradores, dando um controle aos hackers de + de 50% de todo o Éter? E se igualmente, um grande roubo resultou na exploração de uma falha em si, não do Ethereum mas em software de terceiros que é construído em – digamos um compilador ou sistema operacional que já possui bug?

Leia também  Empresa processa fundador da carteira de Bitcoin XAPO

chain

Claro, parte da resposta é que devemos criar uma rede robusta contra esses ataques. Mas parte também, é que quando a merda acontece, podem surgir situações em que uma atitude fundamentalista de um hard fork seja contraproducente.

O risco real vem dos forks, sejam ele “hard” ou “soft”, a partir do momento em que a comunidade é significativamente dividida sobre o assunto. Quando uma situação de emergência exige uma decisão antes que a comunidade possa chegar a um acordo, a solução não é evitar bifurcação (que era inevitável, dado o nível de desacordo), mas a comunidade debater sobre, ouvir e resolver o ocorrido rapidamente.

Esse é um resumo da opinião de , um programador que dirige a Calibrated Markets, uma empresa de investimentos em criptomoedas com participações em BTC e ETH.

Adaptação e Tradução: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *