Nano S: testamos a nova carteira física da Ledger

Em tempos de roubos nas Exchanges (ou fraude), testamos o novo modelo de física (hardware ) da Ledger, o Nano S.

Lançada no final de julho, o novo modelo possibilita ao usuário, através da porta USB de qualquer computador, administrar sua carteira de (BTC), (ETH) ou Classic (ETC).

A Nano S foi arquitetada para rodar na plataforma BOLOS, um sistema operacional que permite a execução segura de múltiplas aplicações Open Source em isolamento completo.

Porém, antes de apresentarmos o dispositivo, vamos aos detalhes de como comprá-lo.

 

Opção 1: direto com o fabricante:

Ao acessar o site da Ledger, você verá – em destaque – a Nano S. O preço do produto é de 58 euros. No total, com o frete, o produto saiu por 81,35 euros. Optamos por comprar o produto no cartão de crédito, assim, o custo foi de R$ 328,88 (R$ 309,16 do produto com o frete + R$ 19,72 de IOF – operação no exterior). A Ledger também aceita pagamentos em bitcoin – lógico né!

Lembrando que , diferentemente do Brasil, no exterior não existe compras parceladas.

 

Opção 2: comprar com o representante oficial da Ledger no Brasil – Cryptonation.soy

O representante brasileiro vende todos os produtos da Ledger pelo Facebook, OpenBazaar e Mercado Livre.

Leia também  Como pagar suas contas utilizando Bitcoins

No Mercado Livre, o produto custa R$ 620,00 sendo possível parcelar a compra em até 12 vezes (Mercado Pago). No Facebook do representante brasileiro, a Nano S é anunciada por R$ 600,00.

OBS: nos valores da opção 2, o frete não está incluso.

 

Prazo de envio:

Compramos diretamente do fabricante, assim, o produto foi despachado dos EUA (sim, a empresa é francesa, mas o produto saiu dos ianques) no dia 04/08 e chegou, na agência dos correios, no dia 15/08. Ainda tem um detalhe: fomos taxados pela alfândega brasileira – explicaremos depois.

Com o representante brasileiro, consultando a calculadora do Mercado Livre, estima-se que o produto chegará, na Av. Paulista (CEP consultado), em 3 dias úteis – usamos a entrega expressa, mais cara, obviamente.

 

– Imposto de Importação:

Um problema que certamente ocorrerá com quem optar por comprar a Nano S no exterior é a taxação, pela Receita Federal, na alfândega. No nosso caso, a Receita arbitrou a base de cálculo do imposto em 20 dólares.

Logo, pagamos um imposto de R$ 38,23 (alíquota de 60% de imposto de importação) + a fatídica taxa dos correios de R$ 12,00. Portanto, no total, a nossa Nano S, comprada diretamente com o fabricante, custou R$ 379,20 (produto + frete + IOF + imposto).

 

Leia também  Mineradora de Bitcoin "Bitmain" adquire startup de análise de dados

Como a criança funciona:

IMG_7464

Na imagem acima, vemos os acessórios que acompanham o produto. São eles: 1) o hardware; 2) cabo USB; 3) Folha de Instruções; 4) Folha de Recuperação; e 5) acessórios para portar o dispositivo.

Ao conectar-se no computador pela primeira vez, a sua Nano S informará o modo de funcionamento.

IMG_7466

Em síntese, você será informado que: a) os botões da direita ou esquerda são usados para navegar entre as opções da lista de itens; e b) pressionar os dois botões juntos envia um comando de confirmação para o dispositivo.

Feito isso, você deverá criar – e memorizar –  um PIN code de 4 dígitos. Lembre-se, se você errar esse PIN três vezes, o seu dispositivo – por segurança – irá resetar.

Após essas pequenas – e necessárias – instruções, o dispositivos perguntará se vocês deseja recuperar ou criar uma nova carteira.

Optamos por criar um nova carteira, assim, o sistema informará 24 palavras que deverão ser anotadas no cartão de recuperação (o vermelho da foto).

IMG_7465

Lembre-se: não divulgue ou perca esse cartão, pois essas 24 palavras são a única forma de você recuperar sua carteira.

Depois de anotar as 24 palavras (em inglês, aliás), o sistema, visando checar se você anotou as anotou corretamente, perguntará, por exemplo, qual é a palavra número 3, 7 ou 19 – e você confirmará com os botões do dispositivo.

Leia também  Trezor, Ledger Nano S e KeepKey, conheça as opções de “hardware wallets” atualmente disponíveis no mercado.

Nunca é demais lembrar que você pode – e deve – dar uma boa revisada nas palavras.

Utilizando o dispositivo:

Instale o App indicado na própria página inicial de instruções da Ledger.

tela1

Toda vez que você iniciar o programa, o seu dispositivo requisitará o PIN code, somente depois desse passo é que o “painel de administração” da sua carteira aparecerá.

tela4

 

Quando for enviar BTC, você poderá alterar a taxa paga ao minerador, além de definir de qual carteira os BTCs serão sacados.

tela5

Informações preenchidas, o sistema mostrará, no dispositivo, os detalhes da transação (taxa, endereço beneficiário, valor) e requisitará que você confirme o envio.

IMG_7472

Em síntese, é esse o funcionamento da Ledger Nano S, uma excelente opção de carteira física para guardar, com muita segurança, seus bitcoins.

Se você deseja maiores informações e características sobre o dispositivo, clique aqui.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *