Em parceria com IBM, banco de Tóquio utilizará blockchain para gerenciar contratos

O Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ (ou BTMU) pretende começar a gerenciar seus contratos em uma baseada em , em 2017.

ibm-blockchain

Construído na tecnologia fornecida pelo projeto Hyperledger, ainda em desenvolvimento e os serviços de design do , as duas empresas revelaram ontem que a plataforma vai gerenciar os contratos a nível de serviço entre o BTMU e terceiros, começando primeiro com a IBM.

O vice-presidente de soluções de blockchain e pesquisas, Ramesh Gopinath, da IBM, disse que a primeira fase da construção da plataforma está completa, permitindo o acompanhamento detalhado dos fluxos de trabalho dentro do japonês, e já conta com uma segunda fase em andamento para ligar os fluxos de trabalho entre as empresas.

Gopinath explicou como a integração irá trabalhar:

“Você captura todo o fluxo de trabalho de todo o caminho, para um contrato principal e os fluxos de trabalho especiais, para os funcionários. Se você capturar as métricas que são relevantes, espera-se que no novo modelo haverá menos conflitos.”

O anúncio de hoje vem depois de dois meses de trabalho para capturar o fluxo de documentos inteiro dentro do banco japonês, disse Gopinath. Ao comparar as obrigações com métricas registradas na blockchain, ele disse que o banco é capaz de avaliar de forma mais rápida e com isso, ganhar performance.

Leia também  Maior exchange do mundo, Poloniex contrata moderador de chat

Tradicionalmente, esse processo é feito manualmente, mas através da construção de documentos no blockchain, a avaliação do sucesso de um projeto pode ser automatizado.

“Se sim, você é pago”, disse Gopinath. “Se não, há penalidades.”

Fase final a caminho e aplicações futuras

Segundo um comunicado, a IBM e o BTMU vão primeiro testar primeiro o serviço transacionando entre si através da plataforma. O BTMU pretende migrar em última fase, para a nova plataforma de gestão de contrato, até o final do ano fiscal de 2017.

Em declarações, a IBM disse que o projeto representa o fruto do seu investimento continuado e os estudos sobre a tecnologia blockchain, que foi revelada pela primeira vez no final de 2015, com o seu envolvimento no projeto Hyperledger.

O BTMU disse ainda que o projeto vai ajudar a fornecer evidências de que a tecnologia baseada em blockchain pode levar a uma alta eficiência do negócio.

“Hoje, estamos embarcando em uma viagem com a IBM para explorar o potencial desta nova tecnologia”, disse Motoi Mitsuishi, vice- do BTMU na Ásia e Oceania.

Via: Coindesk
Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *